sicnot

Perfil

Mundo

Acusação pede 3 anos prisão para ex-ministro francês por fraude e branqueamento

© Charles Platiau / Reuters

Uma representante do Ministério Público francês pediu hoje a condenação a três anos de prisão efetiva do ex-ministro do Orçamento Jérôme Cahuzac por fraude fiscal e branqueamento.

Segundo a agência France-Presse, a procuradora Eliane Houlette afirmou em tribunal que a pena pedida constitui o único castigo justo para "a traição" de "sacrificar todos os princípios à avidez do lucro".

A acusação pediu ainda a condenação da mulher do ex-ministro, Patricia Cahuzac, a dois anos de prisão efetiva por ter "ultrapassado" o marido "na dissimulação de bens perante o fisco".

Cahuzac, 64 anos, está a ser julgado desde 5 de setembro em Paris por fraude fiscal, incorrendo numa pena de sete anos de prisão e multa de um milhão de euros.

O caso remonta a janeiro de 2013, quando o site "Mediapart", dirigido pelo ex-diretor do jornal Le Monde, Edwy Plenel, divulgou uma gravação de uma conversa telefónica atribuída a Cahuzac, na qual este se mostrava preocupado com a possibilidade da revelação da existência de uma conta em seu nome no banco UPS, em Genebra.

O então ministro negou repetidamente as acusações, incluindo perante a Assembleia Nacional, mas em abril do mesmo ano demitiu-se e admitiu ter mentido sobre a conta no estrangeiro, que detinha há cerca de 20 anos.

O diário suíço Le Temps noticiou na altura que uma investigação judicial realizada na Suíça permitiu detetar a conta do ex-ministro, depois de buscas efetuadas ao banco UBS e ao pequeno banco privado Reyl et Cie, conhecido pela sua clientela não suíça.

Segundo o jornal, foram as conclusões da investigação que levaram à mudança de posição de Cahuzac e à sua confissão.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.