sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte acusa EUA de conduzir península coreana a "ponto de explosão"

A Coreia do Norte acusou hoje os Estados Unidos da América de estarem a levar a península coreana a um "ponto de explosão" depois de bombardeiros norte-americanos terem sobrevoado a Coreia do Sul na terça-feira.

"Estas provocações extremamente imprudentes dos belicistas imperialistas dos EUA estão a conduzir a situação na península da Coreia a um ponto de explosão", escreve hoje a agência oficial norte-coreana KCNA.

Pyongyang considerou "infame" esta demonstração de força norte-americana e disse que Washington está à procura de "uma oportunidade" para lançar um "ataque nuclear preventivo".

O mesmo texto refere que as Forças Armadas da Coreia do Norte estão totalmente equipadas para responder a qualquer ataque inimigo "num único golpe".

Dois bombardeiros supersónicos da Força Aérea dos Estados Unidos voaram na terça-feira a Coreia do Sul para advertir o regime de Pyongyang de que os dois países "estão preparados para responder" às ameaças à segurança na região.

Com o envio para a Coreia do Sul destes dois bombardeiros, que estavam na base norte-americana de Guam, no Pacífico, Washington e Seul quiseram deixar à Coreia do Norte a mensagem de que "estão preparados para responder a qualquer momento às ameaças à estabilidade e à segurança na região", segundo um comunicado das Forças Armadas dos EUA e da Coreia do Sul.

A demonstração de força de terça-feira foi "apenas um exemplo das diversas capacidades militares desta sólida aliança", segundo o general Vincent Brooks, citado no texto.

O general acrescentou que o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte na sexta-feira passada é "uma ameaça inaceitável" e sublinhou o compromisso dos EUA na defesa dos seus aliados na região.

Os Estados Unidos da América têm uma aliança militar com a Coreia do Sul desde a Guerra da Coreia (1950-53) ao abrigo da qual se comprometem a defender o país aliado em caso de conflito com a Coreia do Norte.

A Coreia do Norte levou a cabo na sexta-feira a sua quinta explosão atómica, a mais forte até à data e a segunda este ano.

O ministro dos Negócios Estrangeiros sul-coreano, Yun Byung-se, revelou hoje em comunicado que pediu aos seus homólogos da China e da Rússia para serem aplicadas novas sanções à Coreia do Norte, no quadro das Nações Unidas, em resposta ao teste nuclear da semana passada.

O ministro sul-coreano falou com os seus homólogos por telefone e, segundo o mesmo comunicado, o ministro chinês assegurou que Pequim cumprirá com "as suas obrigações" no seio do Conselho de Segurança da ONU onde, tal como a Moscovo, possui poder de veto, e que a China continua a condenar e a rejeitar o desenvolvimento de armas de destruição massiva por parte da Coreia do Norte.

Já o ministro russo afirmou que Moscovo partilha das preocupações da comunidade internacional em relação à Coreia do Norte e "será parte ativa" nos debates sobre novas sanções a aplicar a Pyongyang, garante o comunicado do Governo sul-coreano.

Lusa

  • EUA enviam dois bombardeiros para a Coreia do Sul
    0:42

    Mundo

    Dois bombardeiros supersónicos da Força Aérea dos Estados Unidos voaram hoje sobre a Coreia do Sul para advertir o regime de Pyongyang de que os dois países "estão preparados para responder" às ameaças à segurança na região.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59