sicnot

Perfil

Mundo

Hipóteses de ex-presidente israelita sobreviver a AVC são "muito boas"

As hipóteses de sobrevivência do ex-presidente de Israel Shimon Peres são "muito boas", disse hoje o seu médico pessoal e genro, um dia depois depois de o Nobel da Paz ter sofrido um AVC.

"A sua condição é crítica, mas estável", disse Raphy Walden aos jornalistas, numa videoconferência.

"As hipóteses de sobrevivência são muito boas", acrescentou.

Shimon Peres, de 93 anos, foi hospitalizado na terça-feira perto de Telavive após um um acidente vascular cerebral (AVC), indicou o seu gabinete em comunicado.

Inicialmente, o gabinete do antigo presidente indicou que Peres fora "internado no hospital Tel-Hashomer na sequência de um acidente vascular cerebral", que o seu estado era estável e se encontrava consciente e "a receber o tratamento adequado", mas depois atualizou a informação, afirmando que Peres "foi sedado e está a respirar com a ajuda de um ventilador".

Peres teve em janeiro dois problemas cardíacos em dez dias e foi hospitalizado das duas vezes.

Um dos artífices dos acordos de paz de Oslo, em 1993, Shimon Peres recebeu o prémio Nobel da Paz em 1994, juntamente com o ex-primeiro-ministro israelita Yitzhak Rabin e o então presidente da Autoridade Palestiniana Yasser Arafat, ambos já falecidos.

Último político vivo da geração dos pais fundadores de Israel, Shimon Peres, ministro de muitos governos, assumiu diversas vezes o cargo de primeiro-ministro e depois o de Presidente do Estado de Israel, entre 2007 e 2014.

Aos 93 anos, tem-se mantido ativo através do seu Centro Peres para a Paz, que promove a coexistência entre judeus e árabes.

Lusa

  • "Não vou ceder, não vou render-me, não vou desistir da candidatura"
    2:02
  • Obama, Presidente francês?
    1:55

    Mundo

    A resposta é óbvia, mas não demoveu quatro franceses, descontentes com os candidatos às Presidenciais no seu país. A ideia começou como brincadeira, mas já recolheu 43 mil assinaturas. 

  • Trump apanhado a ensaiar no carro
    1:08
  • Mulheres democratas de branco para mostrar que não abdicam dos diretos conquistados

    Mundo

    Uma "mancha branca" sobressaiu esta terça-feira no Congresso norte-americano, durante o primeiro discurso de Donald Trump. A maioria das 66 mulheres representantes e delegadas do Partido Democrata vestiram-se de branco, num ato simbólico a fazer recordar o movimento sufragista feminino, que encorajava as apoiantes a vestirem-se de branco. Tal como então, a cor da pureza foi agora recuperada, desta feita para mostrar a Trump que as mulheres não abdicam dos direitos conquistados no início do século XX.

  • Treinador do "The Biggest Loser" teve ataque cardíaco

    Mundo

    Foi o próprio Bob Harper que partilhou a notícia no seu Instagram. O ex-treinador do famoso programa de televisão sofreu um ataque cardíaco enquanto treinava no ginásio. Esteve oito dias internado mas, felizmente, já está em casa a recuperar.

  • Prisões recebem manual para lidar com fugas
    2:07

    País

    O Governo vai fazer o maior investimento de sempre nos serviços prisionais. São 2.600 milhões de euros para reforçar a segurança nas prisões. Entretanto. já foi distribuído um manual de procedimentos em caso de fuga.