sicnot

Perfil

Mundo

Hipóteses de ex-presidente israelita sobreviver a AVC são "muito boas"

As hipóteses de sobrevivência do ex-presidente de Israel Shimon Peres são "muito boas", disse hoje o seu médico pessoal e genro, um dia depois depois de o Nobel da Paz ter sofrido um AVC.

"A sua condição é crítica, mas estável", disse Raphy Walden aos jornalistas, numa videoconferência.

"As hipóteses de sobrevivência são muito boas", acrescentou.

Shimon Peres, de 93 anos, foi hospitalizado na terça-feira perto de Telavive após um um acidente vascular cerebral (AVC), indicou o seu gabinete em comunicado.

Inicialmente, o gabinete do antigo presidente indicou que Peres fora "internado no hospital Tel-Hashomer na sequência de um acidente vascular cerebral", que o seu estado era estável e se encontrava consciente e "a receber o tratamento adequado", mas depois atualizou a informação, afirmando que Peres "foi sedado e está a respirar com a ajuda de um ventilador".

Peres teve em janeiro dois problemas cardíacos em dez dias e foi hospitalizado das duas vezes.

Um dos artífices dos acordos de paz de Oslo, em 1993, Shimon Peres recebeu o prémio Nobel da Paz em 1994, juntamente com o ex-primeiro-ministro israelita Yitzhak Rabin e o então presidente da Autoridade Palestiniana Yasser Arafat, ambos já falecidos.

Último político vivo da geração dos pais fundadores de Israel, Shimon Peres, ministro de muitos governos, assumiu diversas vezes o cargo de primeiro-ministro e depois o de Presidente do Estado de Israel, entre 2007 e 2014.

Aos 93 anos, tem-se mantido ativo através do seu Centro Peres para a Paz, que promove a coexistência entre judeus e árabes.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.