sicnot

Perfil

Mundo

Supertufão Meranti paralisa sul de Taiwan

(Arquivo)

© Tyrone Siu / Reuters

O supertufão Meranti, com ventos até 263 quilómetros por hora, paralisou o sul de Taiwan e causou inundações e danos em edifícios e infraestruturas, provocando cortes de energia em mais de 180 mil habitações, na terça-feira.

Apesar de o Meranti não ter tocado terra, trouxe chuvas e ventos fortes ao leste e sul de Taiwan.

Foram mobilizados cerca de 20.000 soldados e retiradas 20.629 pessoas de duas ilhas e do leste de Taiwan, escreve a agência Efe.

Até à manhã de hoje, mais de 20.000 lares continuavam sem água nem eletricidade, tendo-se registado inundações e quedas de postes e árvores, segundo dados do Centro de Resposta a Emergências e da estação de televisão local TVBS.

Os mares que rodeiam o sul de Taiwan registam uma forte ondulação e os barcos pesqueiros e de transporte encontram-se abrigados nos portos da ilha.

A atividade laboral e o transporte aéreo e ferroviário no sul de Taiwan estão hoje interrompidos e não deverão ser retomados até à tarde de quinta-feira, quando o Meranti deixar de afetar Taiwan e chegar à costa oriental chinesa.

Este é o tufão mais forte a afetar Taiwan desde 1959.

Voos com partida de Hong Kong e Macau com destino a Taiwan foram, entretanto, cancelados e adiados.

As duas regiões chinesas com administração especial tinham na manhã de hoje içado o sinal 1 de tufão - o mais baixo numa escala até dez - com as autoridades de Hong Kong a estimarem que o Meranti se aproxime da região na quinta-feira.

O sinal 1 significa em Macau que o centro de uma tempestade tropical está a menos de 800 quilómetros da região, podendo vir a afetá-la.

Os Serviços Geofísicos e Meteorológicos de Macau referem, segundo informação divulgada na sua página de Internet, que "hoje não é muito provável que o presente sinal venha a ser substituído pelo sinal mais alto", recomendando "verificar a segurança dos objetos que possam ser arrastados ou destruídos pelo vento, como tapumes, andaimes, vasos e antenas", e manter as pequenas embarcações junto dos abrigos.

Lusa

  • "Podemos estar a sair da União Europeia, mas não vamos sair da Europa"
    0:40
  • Viver em Évora
    5:11
  • Projeto piloto no Porto com o objetivo de detetar Ambliopia em crianças
    1:16

    País

    São resultados que dizem respeito apenas ao Grande Porto, mas que podem dar uma ajuda para traçar o panorama nacional: 13% das crianças que participaram num rastreio à saúde visual tiveram de ser encaminhadas para consultadas da especialidade. O projeto piloto foi implementado em quatro concelhos do norte do país, mas pode ser alargado.

  • Presidente catalão garante ter plano de contingência
    2:14