sicnot

Perfil

Mundo

Ursos polares cercam grupo de cientistas no Ártico

© Handout . / Reuters

Um grupo com mais de 10 ursos cercou uma estação meteorológica há duas semanas na ilha russa de Troynoy, no Ártico. A situação impede assim que os cinco cientistas - que se encontram no local - possam sair da estação.

O grupo de ursos polares cercou a estação a 31 de agosto, acabando até por matar um dos cães dos investigadores. Segundo Vadim Plotnikov, um dos investigadores, nos últimos dias os ursos conseguiram chegar aos mantimentos do grupo, criando o receio de ficarem sem provisões para ultrapassar o inverno.

Um pequeno grupo de salvamento chegou na terça-feira à ilha, conseguindo afastar temporariamente os ursos. Contudo, os novos mantimentos só irão chegar dentro de um mês. Na terça-feira, foram entregues três cães e alguns materiais pirotécnicos.

Os ursos dormem junto às portas e janelas da estação, impedindo que os cientistas possam sair para fazerem as suas investigações. Das poucas vezes que conseguiram sair tiveram de correr com tochas, de modo a conseguirem afastar os ursos.

Plotnikov contou a uma agência russa que um grupo de quatro a seis ursos polares ficou na ilha durante o verão. No entanto, este grupo aumentou, sendo agora composto por 10 ursos e várias crias.

O porta-voz russo dos serviços meteorológicos aconselhou o grupo de investigadores a ficarem alerta e a não sair do edifico, a menos que fosse mesmo necessário.

  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52