sicnot

Perfil

Mundo

EUA vão recolher e estudar asteroide

NASA

Os Estados Unidos estão a preparar uma missão espacial que consiste em intercetar um fragmento de asteroide com várias toneladas e colocá-lo numa órbita perto da Lua, para ser estudado em profundidade, anunciou hoje o Governo norte-americano.

A importância do projeto, que está em fase de planificação, foi explicada por John Holdren, assessor científico do Presidente Barack Obama, e por Charles Bolden, administrador da NASA, a agência aeroespacial dos Estados Unidos.

Bolden e Holdren afirmaram que o programa, conhecido como ARM (Missão para Redirecionar um Asteroide), é essencial para testar as tecnologias que poderão levar a humanidade até Marte e conquistar o sistema solar.

Este projeto, acrescentaram, é fundamental para testar futuras missões de exploração de minério em pleno espaço, constitui uma base técnica para lançar missões regulares para Marte a partir de 2030 e ajudará a consolidar métodos para defender a Terra de impactos de asteroides.

"Temos de pôr em andamento missões mais ambiciosas para poder levar os humanos cada vez mais longe no espaço", explicou Holdren numa apresentação no centro Goddard da NASA, no estado de Maryland (perto de Washington DC).

A missão ARM visa intercetar um asteroide perto da órbita da Terra, recolher um grande pedaço com várias toneladas de rocha gelada com uma sonda robótica e levá-lo até uma órbita estável perto da Lua, para que os astronautas possam fazer experiências e recolher amostras, durante a década de 2020.

Bolden disse que atualmente as missões espaciais estão numa fase "de dependência da Terra", já que necessitam dos abastecimentos trazidos da superfície terrestre. No entanto, a missão ARM pretende fazer com que os asteroides se convertam em estações de serviço da exploração espacial, fornecendo água e outras matérias-primas.

"Estamos quase lá. (...) Essa será a fase independente", na qual as possibilidades das viagens espaciais disparam, afirmou.

A NASA ainda está na fase de "design" da sonda robótica, do sistema para capturar o fragmento de asteroide e de cálculo do que é necessário em termos orbitais e de propulsão.

Lusa

  • PJ faz buscas no Benfica sobre o caso dos emails

    Desporto

    A Polícia Judiciária está a fazer buscas em instações no Benfica devido ao caso dos emails divulgado pelo diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques. Contactado pela SIC, o clube da Luz disse desconhecer a ação.

    Em atualização

  • Governo prepara pacote de medidas para matas ardidas

    País

    O Governo vai preparar um pacote de medidas para as matas nacionais afetadas pelos incêndios, que passa pela elaboração de um relatório de ocorrências, por um programa de intervenção e pela aplicação da receita da madeira nessas matas.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • Acabou o estado de graça

    Sá Carneiro dizia que qualquer Governo tem direito a um estado de graça de 100 dias. E que, depois disso, já não tem margem para deitar culpas ao Governo anterior. O discurso de Marcelo, no terreno, junto das vítimas, e não na torre de marfim de Belém, marca o tal "novo ciclo" que o Presidente há muito tinha anunciado, com data marcada: depois das autárquicas.

    Pedro Cruz

  • "O primeiro-ministro falhou em toda a linha"
    4:36

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares não acredita que a ministra da Administração Interna se despediu: "ela foi demitida pela Presidente ontem à noite publicamente". No Jornal da Noite, esta quarta-feira, o comentador da SIC declarou que o primeiro-ministro "falhou em toda a linha" e questionou se António Costa tinha a "coragem política de fazer o que é preciso". Sobre os incêndios, Miguel Sousa Tavares disse ainda que o maior problema não era haver reacendimentos, mas sim "não serem logo apagados e propagarem-se".

    Miguel Sousa Tavares

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07
  • Leiria perdeu 80% do Pinhal nos incêndios
    1:51
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51
  • "O povo exige um novo ciclo"
    1:10

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande exige que o primeiro-ministro faça um pedido de desculpas público às famílias das vítimas dos incêndios. A Presidente da Associação pede ainda a demissão do comando da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Após a reunião desta quarta-feira com António Costa, Nádia Piazza anunciou que o Governo assume as mortes de junho passado e chegou a acordo com os familiares das vítimas.

  • Há um novo livro de Astérix

    Astérix

    Dois anos depois do último álbum, chega hoje às livrarias a 37ª aventura de Astérix. Em "Astérix e a Transitálica", os gauleses rumam à Península Itálica.