sicnot

Perfil

Mundo

ONU exorta regime sírio a autorizar imediatamente ajuda humanitária

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, instou esta quinta-feira o regime sírio a autorizar "imediatamente" a distribuição de ajuda humanitária no país, considerando "particularmente lamentável" que se esteja a "perder tempo" nesta matéria.

As Nações Unidas receberam autorização do governo síria a 06 de setembro para distribuir ajuda humanitária nas localidades sitiadas de Madaya, Zabadani, Foua, Kefraya e Mouadamiyat Al-Cham.

No entanto, declarou Staffan de Mistura, a ONU "precisa agora de uma autorização final". E precisa dela imediatamente, acrescentou o responsável aos meios de comunicação social, no final de uma reunião de trabalho sobre ajuda humanitária na Síria. "É particularmente lamentável, estamos a perder tempo", lamentou.

A Rússia concorda connosco neste ponto", realçou Staffan de Mistura, reiterando que os russos - que apoiam o regime sírio - estão dececionados.

A ONU espera poder encaminhar ajuda humanitária na sexta-feira para a zona a leste de Alepo, onde - segundo a organização - vivem entre 250 e 275 mil pessoas em bairros rebeldes sitiados, indicou Jan Egeland, que dirige o grupo de trabalho sobre a ajuda.

Staffan de Mistura explicou que no caso de Alepo, a ONU não precisa de uma autorização final para fazer chegar ajuda humanitária, uma vez que existe um sistema no qual as Nações Unidas simplesmente notificam o governo sírio da chegada de colunas humanitárias através da rota do Castello, um eixo a norte da cidade.

A frágil trégua nos combates na Síria entrou em vigor na segunda-feira e foi prolongada por 48 horas pelos norte-americanos e russos, mas a ajuda humanitária prometido e há muito aguardada ainda não foi distribuída.

Staffan de Mistura explicou ainda que este acordo prevê a desmobilização militar ao longo da rota do Castello e a criação de um "ponto de controlo".

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.