sicnot

Perfil

Mundo

Equador ratifica a vigência do asilo concedido a Julian Assange

O Governo equatoriano ratificou esta sexta-feira o asilo concedido há quatro anos ao fundador do portal Wikileaks, Julian Assange, depois de se saber que um tribunal de recurso sueco manteve a ordem de detenção emitida em 2010 contra o australiano.

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores anunciou que o Tribunal da Relação de Estocolmo negou a Assange -- asilado desde 2012 na embaixada do Equador em Londres -- o seu pedido de levantamento da ordem de detenção.

Relativamente a esta decisão, o Governo do Equador reiterou a "validade das conclusões e recomendações" emitidas pelo Grupo de Trabalho sobre detenções arbitrárias das Nações Unidas, indicou o Ministério das Relações Exteriores em comunicado.

Esse parecer estabelece que Assange "se encontra detido de forma arbitrária, e que deve ser libertado imediatamente", acrescenta.

O ministério recordou que desde junho de 2012, o Governo do Equador tem tomado iniciativas "para assegurar o devido processo, evitar atrasos desnecessários e alcançar uma solução satisfatória para todas as partes".

Em várias ocasiões -- acrescentou -- o Governo equatoriano propôs à Suécia vias alternativas para avançar com as diligências.

No comunicado, o ministério afirmou que "fiel à sua larga tradição de defesa dos direitos humanos, em particular os das vítimas de perseguição política, o Equador ratifica a vigência do asilo concedido a Julian Assange há quatro anos".

O Equador "reafirma a sua intenção de salvaguardar a sua integridade física e a sua vida até que o asilado chegue a um lugar seguro", concluiu.

Em Copenhaga, foi noticiado hoje que a decisão do Tribunal da Relação reafirma a decisão de há quatro meses de um tribunal inferior, que declarou que Assange continua a ser suspeito e que existe o risco de querer evitar um julgamento ou uma hipotética pena.

Os advogados de Assange anunciaram, numa declaração em Londres, que o australiano irá recorrer da decisão.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.