sicnot

Perfil

Mundo

Capriles decreta "emergência alimentar" na região da Grande Caracas

O ex-candidato presidencial opositor, Henrique Capriles Radonski, decretou esta segunda-feira "emergência alimentar" devido à escassez de produtos básicos, em Miranda, uma das regiões que fazem parte da Grande Caracas, na Venezuela.

"Atualmente, 17,2% das pessoas (de Miranda) remexem entre o lixo para poderem alimentar-se. Estamos numa situação de emergência", denunciou, durante uma conferência de imprensa em Caracas.

Capriles, que também é governador de Miranda, explicou que um estudo recente dá conta de que apenas 41,2% dos venezuelanos fazem três refeições por dia e que 62,9% tiveram que ausentar-se do seu lugar de trabalho para poder adquirir produtos alimentares, naquela região.

Também que apenas 10,7% da população de Miranda tem acesso às bolsas de alimentos que o Governo venezuelano distribui através dos Comités Locais de Abastecimento e Produção.

Por outro lado, anunciou que a Superintendência de Administração Tributária de Miranda (Satmir) destinará, segundo um decreto regional, parte dos seus recursos para organizar mercados, distribuir proteínas e impulsionar programas para a produção e processamento de alimentos.

"Através de Satmir teremos um ingresso entre os 2 e os 3%, destinado ao programa de alimentação escolar. As crianças são mais vulneráveis e segundo um um estudo que fizemos entre julho e agosto, 50% delas vão para a cama dormir com fome, ou seja, a metade. E, quase um terço (das crianças) come ao dia apenas o que lhe dão na escola", declarou.

O ex-candidato presidencial opositor questionou o "gasto" feito pelo Governo do Presidente Nicolás Maduro para organizar a XVII Cimeira do Movimento de Países Não Alinhados (MNOAL), que decorreu entre 13 e 18 de setembro na ilha venezuelana de Margarita.

"Os nossos meninos passam fome, enquanto Maduro e a sua cúpula esbanjam os recursos dos venezuelanos num 'show' que foi uma 'burla' (zombaria) ao nosso povo", frisou, vincando que com o dinheiro usado "era possível alimentar todas as crianças em programas de nutrição escolar durante seis meses".

O Estado de Miranda é uma das 24 regiões da Venezuela e a segunda mais povoada do país. Segundo dados não oficiais, em 2015 tinha quase 3,23 milhões de habitantes.

Conjuntamente com o Estado de Vargas e o Distrito Metropolitano faz parte da região conhecida como Grande Caracas.

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.