sicnot

Perfil

Mundo

Cinco detidos por suspeita de ligações a explosão em Nova Iorque

As autoridades federais dos Estados Unidos detiveram no domingo cinco pessoas por suspeita de estarem relacionadas com a explosão em Nova Iorque, avança hoje a imprensa local, citando fontes policiais não identificadas.

O departamento do FBI em Nova Iorque indicou, na sua conta de Twitter, que ninguém tinha sido acusado pela explosão no bairro de Chelsea, que feriu 29 pessoas, mas não referiu detenções.

"Mandámos parar um veículo com interesse para a investigação. Ninguém foi acusado de qualquer crime. A investigação continua", informou o FBI.

Os meios de comunicação de Nova Iorque indicam que os cinco passageiros do veículo foram detidos para serem interrogados.

O veículo foi mandado parar pelas 21:30 de domingo (02:30 de hoje em Lisboa), depois de atravessar a ponte Verrazano-Narrows, que liga Brooklyn e Staten Island.

O jornal New York Daily News indica que foram encontradas armas no carro. O diário diz ainda que uma "pessoa de interesse" foi identificada através de imagens de videovigilância, não sendo claro se essa pessoa está entre as cinco detidas.

A polícia da Nova Iorque não confirmou estas informações, dizendo apenas que a investigação prossegue.

As autoridades estão em alerta elevado desde a explosão no sábado. Uma segunda bomba foi encontrada pela polícia nas redondezas e desativada em segurança.

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida