sicnot

Perfil

Mundo

Inglês faz operação a si próprio após 15 anos de desespero

As fortes dores que sentia e a longa lista de espera para ser operado, levaram um engenheiro britânico a operar-se a si próprio. Após uma primeira cirurgia ao intestino, Graham Smith começou a sentir dores devido a um pedaço de nylon deixado no organismo, há cerca de 15 anos.

O britânico admite ter sido imprudente em realizar a auto-cirurgia mas estava desesperado, optando por uma solução drástica. "A decisão não foi fácil. Tentei através dos meios habituais mas tinha que tomar o controlo da situação, pois não estava preparado para morrer numa lista de espera", conta o homem que andou curvado mais de uma década devido às dores.

Em entrevista à BBC, Smith explica que o pedaço de pano sobressaía do abdómen. "Eram apenas uns 8 milímetros mas tinha 12 fios compridos. Não podia cortá-los apenas pois isso traria mais problemas. Por isso, desfiz os nós e produzi as ferramentas necessárias para que conseguisse retirá-lo".

O Hospital Aintree de Liverpool garante ter avisado Graham de que poderia reunir-se com um cirurgião e assegura estar a acompanhar o seu estado de saúde.

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.