sicnot

Perfil

Mundo

Muçulmana "forçada" a abandonar praia francesa por uso de burkini

Channel 7

Uma mulher muçulmana da Austrália garante ter sido obrigada a abandonar uma praia, na riviera francesa, por estar a usar um burkini - já depois da proibição ter sido levantada.

Zeynab Alshelh, estudante de 23 anos de Medicina, viajou com a família para França num gesto de solidariedade para com as mulheres muçulmanas ali residentes.

Alshelh deslocou-se à praia de Villeneuve-Loubet, onde a proibição do uso de burkini já tinha sido levantada. Mas nem por isso pôde desfrutar de praia. Segundo a estudante, os locais que se encontravam na praia disseram-lhe que se fosse embora, caso contrário chamariam a polícia.

"Saímos porque não queríamos arranjar problemas", contou, revoltada pelo facto de alguém ir a uma praia de burkini ser discriminado.

"É um símbolo da minha fé, um símbolo da minha religião, do Islão. Sair e usar o hijab ajuda as pessoas a centrarem-se no interior em vez daquilo que está no exterior", disse.

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão