sicnot

Perfil

Mundo

Trump diz, após atentados do fim de semana, que situação "só vai piorar"

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, vaticinou esta segunda-feira, a propósito dos atentados ocorridos no fim de semana nos Estados Unidos, que "isto só vai piorar".

"Creio que é uma coisa que pode acontecer... que se calhar ocorrerá cada vez mais e mais em todo o país", declarou o candidato presidencial conservador à estação televisiva Fox.

O magnata do imobiliário referia-se à colocação de várias bombas em Nova Iorque e no vizinho estado de Nova Jérsia nas últimas horas, bem como a explosão de outro engenho e o ataque perpetrado por um alegado simpatizante 'jihadista' com uma faca num centro comercial do Minnesota, que fez nove feridos este fim de semana.

"É uma confusão e é uma vergonha, e vamos ter de ser muito duros (...) isto só vai piorar", observou.

Trump referiu-se igualmente às possíveis "ligações internacionais" destes ataques, que tinham pouco antes sido mencionadas pelo governador de Nova Iorque, Andrew Como, e disse que acredita que existem "múltiplas conexões estrangeiras" devido a pessoas que se estão a infiltrar nos Estados Unidos para cometer atentados.

"Pode acontecer que tenhamos muitos grupos [no país], porque estamos a deixar esta gente vir para a nossa nação para a destruir e torná-la insegura para o nosso povo", disse o multimilionário norte-americano, aproveitando para insistir na sua proposta de restringir a imigração.

As autoridades norte-americanas procuram uma pessoa identificada como Ahmad Khan Rahami, nascido no Afeganistão e naturalizado norte-americano, que pode estar relacionado com as bombas colocadas no passado fim de semana em Nova Iorque, ao passo que o atacante do centro comercial no Minnesota foi identificado pela sua família como Dahis Adan, um imigrante somali.

No ataque do Minnesota, nove pessoas foram feridas no sábado à noite por Adan, que brandia uma faca de cozinha, enquanto outras 29 pessoas ficaram feridas na mesma noite no bairro nova-iorquino de Chelsea, na explosão de uma bomba e, pouco depois, foram encontrados perto mais explosivos.

Hoje de madrugada, explodiu outra bomba na localidade de Elizabeth, em Nova Jérsia, enquanto era revista por um robot policial, e nas primeiras horas de sábado, explodiu outro engenho em Seaside Park (Nova Jérsia), que não fez vítimas nem danos materiais.

Lusa

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.