sicnot

Perfil

Mundo

Ataques aéreos e bombardeamentos na Síria após anúncio do fim da trégua

Reuters

Ataques aéreos e bombardeamentos atingiram várias frentes de batalha na Síria durante a madrugada de hoje, depois de o exército ter anunciado o fim do frágil cessar-fogo, relata a agência AFP.

Na cidade de Alepo, ataques aéreos e fogo de artilharia atingiram zonas controladas pelos rebeldes até às 02:00 (meia-noite em Lisboa), observou um correspondente da agência.

Na manhã de hoje, ouvia-se o som de explosões intermitentes pela cidade.

A AFP descreve ainda o som de bombardeamentos na zona oeste da cidade, controlada pelo governo.

Alepo, tal como a maioria das zonas de batalha na Síria, esteve pela primeira vez relativamente calma desde que foi acordada uma trégua, mediada por Washington e Moscovo, a 12 de setembro.

No entanto, a violência voltou na semana passada, culminando num fim de semana de letais ataques aéreos em Alepo e uma ofensiva liderada pelos Estados Unidos que matou vários soldados sírios que combatiam o Estado Islâmico.

Os combates intensificaram-se também nos subúrbios de Damasco, controlados pelos rebeldes, onde o exército anunciou uma grande operação militar na segunda-feira, horas depois de ter sido anunciado o fim do cessar-fogo.

Fogo de artilharia atingiu também a cidade de Talbisseh, controlada por rebeldes, segundo o ativista Hassaan Abu Nuh.

Na província de Idlib (noroeste), o ativista Nayef Mustafa descreveu como os aviões circularam em torno da cidade de Salqin, controlada pelo antigo afiliado da Al-Qaida, juntamente com rebeldes islâmicos.

O acordo de trégua era visto como a melhor oportunidade para pôr fim a mais de cinco anos de conflito, em que mais de 300 mil pessoas morreram.

O exército declarou o fim do cessar-fogo na segunda-feira.

Horas depois, uma coluna que transportava ajuda humanitária destinada a civis da província de Alepo foi atingida por um ataque aéreo, matando 12 voluntários da organização Crescente Vermelho e destruindo pelo menos 18 camiões.

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.