sicnot

Perfil

Mundo

Pai do suspeito de participar nas explosões nos EUA já tinha falado com FBI

O pai do homem acusado de participar nos recentes atentados em Nova Iorque e em Nova Jersey, Amhmad Khan Rahami, já tinha informado as autoridades que o seu filho era terrorista, refere esta terça-feira a imprensa norte-americana.

Em 2014, Mohammed Rahami, pai de Amhmad Khan Rahami, fez uma denúncia contra o seu filho junto de agentes federais que a transferiram para o Grupo de Intervenção contra o Terrorismo do FBI (polícia federal norte-americana) em Newark.

Os agentes interrogaram o pai de Amhmad Khan Rahami por duas vezes, mas no segundo interrogatório Mohammed Rahami retirou a acusação, alegando que estava "chateado" com o filho.

Hoje, aos jornalistas, Mohammed Rahami voltou a insistir que chamou o FBI "há dois anos".

Questionado sobre se o seu filho é um terrorista, mostrou de novo incongruências, sublinhando que o filho não é terrorista e que o FBI sabe.

Amhmad Khan Rahami foi detido segunda-feira, depois de um tiroteio na cidade de Linden, no estado de Nova Iorque, horas depois de as autoridades divulgarem a sua imagem por alegado envolvimento nas explosões ocorridas durante o fim de semana.

Lusa

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46