sicnot

Perfil

Mundo

Papa denuncia quem trava guerras em nome de Deus em encontro inter-religioso

O papa Francisco denunciou esta terça-feira aqueles que travam guerras em nome de Deus, num encontro com líderes religiosos e vítimas de conflitos para debater o aumento do fanatismo e da violência no mundo.

"O mundo está em guerra, o mundo está a sofrer", disse o papa argentino antes do início do encontro, ao mesmo tempo que os combates foram retomados na Síria e os Estados Unidos estão a investigar um ataque possivelmente ligado ao Daesh.

"Não existe um Deus da guerra", declarou, pedindo a "todos os homens e mulheres de boa vontade, de qualquer religião, orações pela paz".

O Dia Mundial da Oração pela Paz, estabelecido por João Paulo II há 30 anos e realizado na cidade medieval de Assis, no centro de Itália, tem por objetivo lutar contra a perseguição religiosa e o extremismo disfarçado de religião.

O papa lembrou que apesar de nações ocidentais terem sofrido vários ataques terroristas, existem zonas no mundo onde as cidades são arrasadas pela guerra, prisioneiros são torturados e famílias morrem à fome.

"Estamos assustados por alguns atentados terroristas" mas "isto não é nada quando comparado com o que está a acontecer nesses países, nessas terras onde bombas caem dia e noite", disse Francisco durante a missa matinal no Vaticano.

"Quando rezarmos hoje, seria bom que todos sentíssemos vergonha, vergonha que humanos, nossos irmãos e irmãs, sejam capazes de fazer isto", afirmou.

Jorge Bergoglio, de 79 anos, chegou de helicóptero a Assis, onde vai almoçar com dez vítimas de guerra, antes de se reunir com vários líderes religiosos, incluindo o arcebispo anglicano de Cantuária, Justin Welby, e o patriarca ortodoxo de Constantinopla, Bartolomeu I.

O Vaticano indicou que o líder da Igreja Católica manteria também encontros com representantes muçulmanos e judeus e como Koei Morikawa, chefe da escola Tendai de Budismo do Japão.

Às 14:00 TMG (15:00 em Lisboa), os vários líderes retiram-se para rezar, em locais separados, antes de se reunirem novamente para uma cerimónia conjunta, durante a qual serão lidas mensagens de paz.

Cerca de 500 representantes de diferentes religiões e leigos estão a participar numa série de mesas redondas, desde domingo, em Assis, para debater violência religiosa, as alterações climáticas ou a crise migratória.

Esta a segunda visita do papa à cidade onde nasceu São Francisco de Assis, que renunciou à riqueza e escolheu uma vida de pobreza, tornando-se num emissário da paz.

Em agosto, durante uma visita à Polónia, o líder de 1,2 mil milhões de católicos, que escolheu o nome Francisco em homenagem ao santo e à sua devoção pela paz e pelo perdão, afirmou que "o mundo está em guerra" criada pela ganância "por interesses, dinheiro, recursos" e não pela religião.

"Todas as religiões querem a paz, são os outros que querem a guerra", afirmou.

Francisco alertou para o perigo de identificar Islão com terrorismo, insistindo que também existem fundamentalistas católicos.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52