sicnot

Perfil

Mundo

Angola deseja visita de António Costa ainda este ano

O ministro dos Negócios estrangeiros angolano disse esta quarta-feira, em Nova Iorque, que o país quer intensificar os encontros com Portugal e que deseja receber a visita do primeiro-ministro, António Costa, ainda este ano.

"Queremos que as visitas entre os dois países se estendam aos níveis mais altos dos nossos dirigentes, como o Presidente e o primeiro-ministro. Vamos ver se é possível [a visita de António Costa ainda este ano] e se encontramos tempo", disse Georges Chicoti à agência Lusa.

Chicoti reuniu-se com o seu homólogo português, Augusto Santos Silva, na segunda-feira e os dois responsáveis "concordaram em trabalhar juntos" para que o Presidente da República e o primeiro-ministro de Portugal visitem oficialmente Angola, o que "reafirmaria a confiança entre os dois Estados e governos".

À agência Lusa, Augusto Santos Silva explicou que cabe agora a Angola propor uma data, que será analisada pelo Governo português segundo a agenda do primeiro-ministro.

O govrnante confirmou também que o ministro da Economia português, Manuel Caldeira Cabral, visitará Angola por ocasião da Feira Internacional de Luanda, prevista para o próximo mês de novembro.

"Queremos estimular cada vez mais a cooperação empresarial entre angola e Portugal. Este é o momento de mostrar que queremos boas relações entre os dois países e é nesse sentido que vamos trabalhar", concluiu Georges Chicoti.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras