sicnot

Perfil

Mundo

China apoia candidato "mais capaz" para liderar ONU

A China disse hoje que deve ser o candidato "mais capaz" a substituir Ban Ki-moon como secretário-geral da ONU, no final do ano, face às informações que apontam a búlgara Irina Bokova como a favorita de Pequim.

"A ONU está a analisar as candidaturas e a China vai trabalhar com os outros países para assegurar que é o (candidato) mais capaz a assumir o cargo", sublinhou hoje Lu Kang, porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, numa conferência de imprensa em Pequim.

Rejeitando referir qualquer candidato, Lu afirmou que Pequim "crê que a decisão deve ser baseada no consenso, como consta na Carta das Nações Unidas, e o secretário ou secretária-geral deve ser alguém capaz de cumprir com as suas obrigações".

O jornal de Hong Kong South China Morning Post assinala hoje que Irina Bokova, a diretora-geral da UNESCO, é a candidata favorita de Pequim, com base na opinião de analistas chineses, que a consideram "alguém que não atuaria a favor dos interesses de nenhuma país em particular".

O ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, reuniu-se com Bokova no passado mês de junho.

A costa-riquenha Christiana Figueres, que desistiu da corrida na semana passada, foi também recebida por Wang Yi, e outros líderes chineses, em julho.

Já o ex-primeiro-ministro português António Guterres, que é considerado o favorito à liderança da organização, após ter ficado à frente em todas as quatro votações secretas ocorridas entre os membros do Conselho de Segurança da ONU, esteve na capital chinesa em maio, mas foi recebido pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Li Baodong, segundo informações no ?site' do ministério.

Na mais recente votação, Guterres teve 12 votos "encoraja", dois "desencoraja" e um "sem opinião".

Lu recusou revelar o candidato preferido por Pequim, e limitou-se a dizer que o cargo de secretário-geral "implica uma grande responsabilidade".

Bokova é também apontada como a favorita da Rússia, o principal aliado da China em grande parte dos assuntos internacionais.

Lusa

  • Marcelo aproveita discurso na ONU para dar impulso à candidatura de Guterres
    2:54

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa discursou na Assembleia-geral das Nações Unidas. Entre paz e refugiados, o Presidente da República aproveitou o discurso para dar um impulso à candidatura de António Guterres a secretário-geral da ONU. Marcelo defendeu que o novo secretário-geral deve ser "um congregador de espíritos e de vontades", na linha de Gandhi e Mandela.

  • Marcelo quer secretário-geral da ONU na linha de Gandhi e Mandela
    1:05

    País

    O Presidente da República deixou na Assembleia-geral das Nações Unidas uma mensagem de apoio à candidatura de António Guterres. Sem referir o nome do ex-primeiro-ministro, Marcelo fez votos para que o perfil do próximo secretário-geral seja de alguém conciliador e com capacidade de liderança, na linha de Gandhi e Mandela. Esta foi a primeira vez enquanto chefe de Estado de Portugal, que Marcelo se dirigiu a esta assembleia em Nova Iorque.

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.