sicnot

Perfil

Mundo

Erro informático permitiu acesso a todos os sites da Coreia do Norte

A Coreia do Norte permitiu, acidentalmente, o acesso do exterior a todos os websites do país. Segundo o jornal The Guardian, o incidente ocorreu devido a um erro informático de má configuração. A fuga de dados veio permitir saber que existem apenas 28 páginas de internet baseados na Coreia do Norte. A maioria está escrita em coreano mas há sites com versões em inglês.

Há uma rede social, um site de receitas e muita propaganda. Apresentam uma construção muito básica e são lentos a carregar. Normalmente, o servidor norte-coreano está configurado para rejeitar os pedidos de acesso do exterior. Na Coreia do Norte, até para se ter um computador é necessária autorização do Governo.

Alegadamente revelada por um engenheiro norte-americano, a lista revela menos de 30 websites. Como era previsível, existe muita propaganda e informação sobre o Ministério e o Turismo. Mas não só. Os cidadãos do país podem encontrar receitas norte-coreanas e filmes.

Talvez por erro da Coreia do Norte ou por sorte do engenheiro norte-americano, ele conseguiu aceder a uma página onde continha todos os websites do país. Martyn Williams, um especialista sobre o país, explicou os três pontos da internet na Coreia do Norte.

1. Existem muitas notícias sobre "As Atividades Supremo Líder"

A maior parte das páginas de internet estão em coreano, mas no caso do jornal Rodong Sinum, existe também uma página em inglês. Neste site pode ser encontrada uma secção dedicada ao líder do país, Kim Jong-un, chamada "As Atividades do Supremo Líder".

Kim Jong-un

Kim Jong-un

© KCNA KCNA / Reuters

2. As páginas de internet são pouco sofisticadas

Muitos dos sites, para além de demorarem muito a carregar, são básicos. Os sites de notícias não são atualizados com frequência nem têm material exclusivo, vindo quase tudo da agência de notícias oficial do país.

3. A internet na Coreia do Norte mostra que o país quer mostrar o seu lado cultural

Um site de comida está cheio de imagens das "mais famosas receitas coreanas". Nesta página, existe ainda uma lista dos principais restaurantes no país. Para os sul-coreanos, a comida pode não parecer apetecível, mas o site explica o porquê da comida norte-coreana ser tão boa. A resposta: "O gosto e o aroma, as lindas cores, a variedade e é muito saudável para o corpo".

Se a pessoa está no "mood" de ver um filme, existe um site que mostra o cinema norte-coreano. O Festival Internacional de Cinema de Pyongyang está a acontecer agora e o evento está a ser promovido na página. Os três tipos de filmes que podem ser vistos no festival são "filmes de arte, documentários e filmes animados".

  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.