sicnot

Perfil

Mundo

Erro informático permitiu acesso a todos os sites da Coreia do Norte

A Coreia do Norte permitiu, acidentalmente, o acesso do exterior a todos os websites do país. Segundo o jornal The Guardian, o incidente ocorreu devido a um erro informático de má configuração. A fuga de dados veio permitir saber que existem apenas 28 páginas de internet baseados na Coreia do Norte. A maioria está escrita em coreano mas há sites com versões em inglês.

Há uma rede social, um site de receitas e muita propaganda. Apresentam uma construção muito básica e são lentos a carregar. Normalmente, o servidor norte-coreano está configurado para rejeitar os pedidos de acesso do exterior. Na Coreia do Norte, até para se ter um computador é necessária autorização do Governo.

Alegadamente revelada por um engenheiro norte-americano, a lista revela menos de 30 websites. Como era previsível, existe muita propaganda e informação sobre o Ministério e o Turismo. Mas não só. Os cidadãos do país podem encontrar receitas norte-coreanas e filmes.

Talvez por erro da Coreia do Norte ou por sorte do engenheiro norte-americano, ele conseguiu aceder a uma página onde continha todos os websites do país. Martyn Williams, um especialista sobre o país, explicou os três pontos da internet na Coreia do Norte.

1. Existem muitas notícias sobre "As Atividades Supremo Líder"

A maior parte das páginas de internet estão em coreano, mas no caso do jornal Rodong Sinum, existe também uma página em inglês. Neste site pode ser encontrada uma secção dedicada ao líder do país, Kim Jong-un, chamada "As Atividades do Supremo Líder".

Kim Jong-un

Kim Jong-un

© KCNA KCNA / Reuters

2. As páginas de internet são pouco sofisticadas

Muitos dos sites, para além de demorarem muito a carregar, são básicos. Os sites de notícias não são atualizados com frequência nem têm material exclusivo, vindo quase tudo da agência de notícias oficial do país.

3. A internet na Coreia do Norte mostra que o país quer mostrar o seu lado cultural

Um site de comida está cheio de imagens das "mais famosas receitas coreanas". Nesta página, existe ainda uma lista dos principais restaurantes no país. Para os sul-coreanos, a comida pode não parecer apetecível, mas o site explica o porquê da comida norte-coreana ser tão boa. A resposta: "O gosto e o aroma, as lindas cores, a variedade e é muito saudável para o corpo".

Se a pessoa está no "mood" de ver um filme, existe um site que mostra o cinema norte-coreano. O Festival Internacional de Cinema de Pyongyang está a acontecer agora e o evento está a ser promovido na página. Os três tipos de filmes que podem ser vistos no festival são "filmes de arte, documentários e filmes animados".

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.