sicnot

Perfil

Mundo

França exige sanções contra regime sírio devido ao uso de armas químicas

O chefe da diplomacia francesa, Jean-Marc Ayrault, exigiu esta quarta-feira no Conselho de Segurança das Nações Unidas a imposição de sanções contra os autores dos ataques com armas químicas na Síria, nomeadamente o regime do Presidente Bashar al-Assad.

"Nenhum crime deve passar em silêncio, mesmo em contrapartida de uma trégua. Não há paz se houver impunidade, e o Conselho deve agir ao abrigo do capítulo 7 [da Carta das Nações Unidas, relativo a "ameaças à paz, rotura da paz e atos de agressão"] para condenar estes ataques e sancionar os seus autores", declarou Ayrault.

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês recordou que um relatório da ONU já atribuiu responsabilidade a Damasco por dois ataques com armas químicas no norte da Síria em 2014 e 2015.

No entanto, nenhuma proposta de resolução com o objetivo de sancionar a Síria foi entregue ao Conselho de Segurança, que inclui como um dos cinco membros permanentes a Rússia, o mais forte aliado do regime sírio.

Jean-Marc Ayrault também sugeriu que o Conselho de Segurança exija ao regime sírio "o regresso de todos os seus soldados aos quartéis".

O ministro constatou que o acordo entre russos e norte-americanos relativo a um cessar-fogo constitui "a única proposta sobre a mesa", pelo que apelou a que a trégua alcançada - e entretanto destruída - seja restaurada. Jean-Marc Ayrault também responsabilizou o regime sírio pelo fim do cessar-fogo.

"É preciso que os combates terminem, que a ajuda humanitária chegue e que uma dinâmica de paz se inicie, com vista a uma solução política", a única maneira de refrear o conflito, afirmou.

Ainda assim, o ministro francês admitiu que tal "é difícil".

Na mesma reunião do Conselho de Segurança, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, tinha proposto a criação de zonas de exclusão aérea na Síria, em vários territórios chave para a distribuição de ajuda humanitária.

As declarações de Kerry surgem horas depois de os Estados Unidos terem, novamente, responsabilizado a Rússia por um ataque aéreo contra uma coluna humanitária na segunda-feira, que matou 20 pessoas e causou a destruição de 18 de 31 camiões com alimentos, medicamentos e outra ajuda de primeira necessidade.

A Rússia e a Síria negaram a autoria do ataque.

Lusa

  • Proteção Civil desmobiliza meios em Setúbal

    País

    A Proteção Civil vai começar a desmobilizar, hoje à tarde, meios de combate ao incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal e que já está em fase de rescaldo, disse à agência Lusa o vereador da Proteção Civil Municipal.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • Portugal condenado por decisão "discriminatória e preconceituosa"
    1:19

    País

    Portugal voltou a ser condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, desta vez por causa de uma decisão discriminatória e preconceituosa. Trata-se do caso da mulher a quem o Supremo Tribunal Administrativo baixou o valor de uma indemnização por negligência médica. Entre os vários argumentos usados, os juízes portugueses consideraram que a sexualidade é menos importante quando se tem 50 anos e dois filhos.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26

    País

    O candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, foi entrevistado esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise, a polémica em torno das declarações do candidato sobre a comunidade cigana.

    Entrevista SIC Notícias

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.