sicnot

Perfil

Mundo

Gato morto transformado em mala e vendido em leilão

Uma mulher na Nova Zelândia embalsamou um gato para fazer uma mala. Depois, colocou a "mala" à venda num site de leilões, conseguindo arrecadar quase 400 euros. As reações à mala foram distintas: uns chamaram-na "nojenta", outros viram a "obra de arte" como algo sem criatividade ou artístico.

Claire Third é taxidermista há 15 anos. Taxidermia é a reprodução ou montagem de animais para exibição ou estudo.

A mulher encontrou o gato morto à beira da estrada, recolheu-o e guardou-o no frigorífico. Depois de três meses, Claire decidiu embalsamar o animal e torná-lo numa "obra de arte".

A mala demorou 300 horas a ser feita. Ao fim de sete anos no frigorífico, Claire decidiu colocar a mala à venda num site de leilões, conseguindo arrecadar cerca de 350 euros.

Na descrição do leilão, Claire escreveu: "Tom é uma bolsa de mão para a mulher que tem tudo. A mala que chamará a atenção para onde quer que vá".

As reações à mala foram distintas: uns chamaram-na "nojenta", outros viram a "obra de arte" como algo sem criatividade ou artístico. Várias pessoas acusaram-na de matar gatos. Outras, talvez num tom mais irónico, comentaram que preferiam outro tipo de gatos.

  • Bernardo Silva no City? O que Pep Guardiola disse ao português na Champions
    0:34
  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28
  • "O Brasil não parou e não vai parar"
    1:33

    Mundo

    O Presidente do Brasil diz ter condições para continuar à frente do Palácio do Planalto. Num vídeo publicado no Twitter, Michel Temer garante que o país não parou, nem vai parar, mas há uma nova gravação que pode comprometer o futuro do chefe de Estado.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57