sicnot

Perfil

Mundo

Monitores da atividade física não ajudam a perder peso

Reuters

As pulseiras e os monitores de atividade física não têm, afinal, qualquer benefício para quem quer perder peso. Um estudo com quase 500 pessoas concluiu que os utilizadores destes gadgets perderam menos peso, ao longo de dois anos, do que os que não usaram qualquer dispositivo.

O estudo, que durou cerca de dois anos e envolveu quase 500 pessoas com excesso de peso, concluiu que o uso de pulseiras e outros dispositivos que monitorizam a atividade física podem ter menos impacto na diminuição de peso do que o exercício "sem tecnologia".

Um grupo de jovens adultos foi colocado sob um regime dietético de baixas calorias, de exercício físico e de aconselhamento, como parte do estudo da Universidade de Pittsburgh.

Seis meses depois, a metade dos voluntários foi dado um gadget de monitorização da atividade física. DOis anos depois, os utilizadores do dispositivo tinham perdido em média 3,5 kg. Os que não utilizaram nada perderam em média 5,9 kg.

"Uma das explicações pode ser a de que os indivíduos começaram a focar-se apenas na informação sovre a atividade física e prestaram menos atenção a outrs fatores que também são importantes, como a dieta", explica John Jakicic, que liderou o estudo.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.