sicnot

Perfil

Mundo

Timor-Leste foi o país que mais progrediu na saúde desde 2000

Timor-Leste foi o país do mundo que mais progrediu desde 2000 nas metas relacionadas com a saúde dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, devido à pacificação do país e à aposta no acesso aos cuidados, revela um estudo.

Hoje publicado na revista científica The Lancet e apresentado num evento nas Nações Unidas, em Nova Iorque, o estudo é o primeiro a avaliar o desempenho dos países nas metas relativas à Saúde inscritas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A principal conclusão é que o mundo registou progressos na saúde desde 2000, nomeadamente na mortalidade infantil e neonatal ou na cobertura universal dos cuidados de saúde, mas alguns indicadores até pioraram, como a obesidade infantil, a violência doméstica ou o alcoolismo.

Na sua investigação, os cientistas liderados por Stephen Lim, do Instituto para a Métrica e a Avaliação da Saúde na Universidade de Washington, em Seattle, EUA, usaram dados do estudo sobre o Peso Global da Doença para avaliarem o desempenho de 188 países em 33 dos 47 indicadores relativos à saúde nos ODS, classificando-os num índice que vai de zero (o pior) a 100 (o melhor).

O progresso dos países no índice é muito heterogéneo, com alguns países a melhorarem mais de 15 pontos entre 2000 e 2015 e outros a registarem quedas de dois pontos no mesmo período.

Desde 2000, o maior progresso absoluto no índice dos ODS relativos à Saúde ocorreu em Timor-Leste, país que registou uma melhoria de 18,5 pontos no índice, seguido do Butão (16,2) e da Colômbia (15,6).

No extremo oposto estão a Líbia e a Síria (com menos dois pontos) e o Chile (-1).

Os autores do estudo atribuem o progresso no desempenho de Timor-Leste em sete das metas estudadas: intervenções que visam a cobertura universal dos cuidados de saúde, presença de profissionais qualificados durante o parto, acesso a contraceção moderna, mortalidade infantil e neonatal, baixa estatura das crianças, acesso a água e saneamento e mortalidade devido a guerra e conflitos.

Como exemplo, os investigadores recordam que, depois de um período de violência e conflito nos anos 1990, Timor-Leste aplicou entre 2000 e 2001, em colaboração com o Banco Mundial e outros parceiros para o desenvolvimento, uma série de medidas de reabilitação do setor da saúde com o objetivo de restabelecer o sistema de saúde do país e melhorar o acesso dos pobres à saúde.

Mais recentemente, lembram ainda, a reforma e o financiamento do serviço de saúde têm estado no topo das agendas governamentais, nomeadamente no lançamento, pelo Ministério da Saúde em 2007, de um Pacote de Serviços Básicos de Saúde e um Pacote de Serviços Hospitalares.

Os progressos a nível geral ocorreram apesar de retrocessos em metas como o excesso de peso infantil, a prevalência do tabagismo e o consumo de álcool em Timor-Leste desde 2000.

A nível mundial, os países que mais ganhos registaram entre 2000 e 2015 foram os da Ásia oriental, central e sudeste asiático, assim como partes da América Latina (Venezuela e Honduras).

Vários países da África subsaariana também registaram ganhos consideráveis, incluindo Angola, que obteve mais 11 pontos no índice, sobretudo devido ao fim da guerra civil, em 2002, mas também à redução da taxa de baixa estatura infantil, às medidas que visam a cobertura universal de saúde e ao aumento da presença de profissionais qualificados no parto.

A Guiné Equatorial também melhorou 11 pontos, sobretudo devido ao acesso aos cuidados de saúde e apesar de retrocessos na obesidade infantil.

Cabo Verde registou um aumento de 10 pontos entre 2000 e 2015, sobretudo devido à redução da malária, ao aumento da cobertura dos serviços de saúde e às melhorias no saneamento.

São Tomé e Príncipe e Moçambique subiram nove pontos entre 2000 e 2015, Portugal oito, Brasil sete, Guiné-Bissau cinco.

Lusa

  • Proteção Civil desmobiliza meios em Setúbal

    País

    A Proteção Civil vai começar a desmobilizar, hoje à tarde, meios de combate ao incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal e que já está em fase de rescaldo, disse à agência Lusa o vereador da Proteção Civil Municipal.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • Portugal condenado por decisão "discriminatória e preconceituosa"
    1:19

    País

    Portugal voltou a ser condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, desta vez por causa de uma decisão discriminatória e preconceituosa. Trata-se do caso da mulher a quem o Supremo Tribunal Administrativo baixou o valor de uma indemnização por negligência médica. Entre os vários argumentos usados, os juízes portugueses consideraram que a sexualidade é menos importante quando se tem 50 anos e dois filhos.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26

    País

    O candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, foi entrevistado esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise, a polémica em torno das declarações do candidato sobre a comunidade cigana.

    Entrevista SIC Notícias

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.