sicnot

Perfil

Mundo

Timor-Leste foi o país que mais progrediu na saúde desde 2000

Timor-Leste foi o país do mundo que mais progrediu desde 2000 nas metas relacionadas com a saúde dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, devido à pacificação do país e à aposta no acesso aos cuidados, revela um estudo.

Hoje publicado na revista científica The Lancet e apresentado num evento nas Nações Unidas, em Nova Iorque, o estudo é o primeiro a avaliar o desempenho dos países nas metas relativas à Saúde inscritas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A principal conclusão é que o mundo registou progressos na saúde desde 2000, nomeadamente na mortalidade infantil e neonatal ou na cobertura universal dos cuidados de saúde, mas alguns indicadores até pioraram, como a obesidade infantil, a violência doméstica ou o alcoolismo.

Na sua investigação, os cientistas liderados por Stephen Lim, do Instituto para a Métrica e a Avaliação da Saúde na Universidade de Washington, em Seattle, EUA, usaram dados do estudo sobre o Peso Global da Doença para avaliarem o desempenho de 188 países em 33 dos 47 indicadores relativos à saúde nos ODS, classificando-os num índice que vai de zero (o pior) a 100 (o melhor).

O progresso dos países no índice é muito heterogéneo, com alguns países a melhorarem mais de 15 pontos entre 2000 e 2015 e outros a registarem quedas de dois pontos no mesmo período.

Desde 2000, o maior progresso absoluto no índice dos ODS relativos à Saúde ocorreu em Timor-Leste, país que registou uma melhoria de 18,5 pontos no índice, seguido do Butão (16,2) e da Colômbia (15,6).

No extremo oposto estão a Líbia e a Síria (com menos dois pontos) e o Chile (-1).

Os autores do estudo atribuem o progresso no desempenho de Timor-Leste em sete das metas estudadas: intervenções que visam a cobertura universal dos cuidados de saúde, presença de profissionais qualificados durante o parto, acesso a contraceção moderna, mortalidade infantil e neonatal, baixa estatura das crianças, acesso a água e saneamento e mortalidade devido a guerra e conflitos.

Como exemplo, os investigadores recordam que, depois de um período de violência e conflito nos anos 1990, Timor-Leste aplicou entre 2000 e 2001, em colaboração com o Banco Mundial e outros parceiros para o desenvolvimento, uma série de medidas de reabilitação do setor da saúde com o objetivo de restabelecer o sistema de saúde do país e melhorar o acesso dos pobres à saúde.

Mais recentemente, lembram ainda, a reforma e o financiamento do serviço de saúde têm estado no topo das agendas governamentais, nomeadamente no lançamento, pelo Ministério da Saúde em 2007, de um Pacote de Serviços Básicos de Saúde e um Pacote de Serviços Hospitalares.

Os progressos a nível geral ocorreram apesar de retrocessos em metas como o excesso de peso infantil, a prevalência do tabagismo e o consumo de álcool em Timor-Leste desde 2000.

A nível mundial, os países que mais ganhos registaram entre 2000 e 2015 foram os da Ásia oriental, central e sudeste asiático, assim como partes da América Latina (Venezuela e Honduras).

Vários países da África subsaariana também registaram ganhos consideráveis, incluindo Angola, que obteve mais 11 pontos no índice, sobretudo devido ao fim da guerra civil, em 2002, mas também à redução da taxa de baixa estatura infantil, às medidas que visam a cobertura universal de saúde e ao aumento da presença de profissionais qualificados no parto.

A Guiné Equatorial também melhorou 11 pontos, sobretudo devido ao acesso aos cuidados de saúde e apesar de retrocessos na obesidade infantil.

Cabo Verde registou um aumento de 10 pontos entre 2000 e 2015, sobretudo devido à redução da malária, ao aumento da cobertura dos serviços de saúde e às melhorias no saneamento.

São Tomé e Príncipe e Moçambique subiram nove pontos entre 2000 e 2015, Portugal oito, Brasil sete, Guiné-Bissau cinco.

Lusa

  • Cerca de 100 mortos e dezenas de desaparecidos após sismo na Indonésia
    1:24
  • As camisolas de Natal da família real britânica

    Mundo

    O espírito natalício invadiu ontem o Museu Madame Tussauds, em Londres. Foram reveladas as novas figuras de cera da família real britânica - cada membro enverga uma camisola de espírito festivo, com cãezinhos "reais" e "gingerbreadmen" de gosto duvidoso.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Com este vamos arrancar-lhe uma lagriminha!

    Mundo

    Nesta redação, não se vive só de notícias. Também gostamos de nos emocionar com o mundo virtual. Imbuídos pela quadra natalícia, decidimos partilhar este vídeo polaco consigo. O que é preciso para o emocionar? Um tema com uma mensagem simples e que nos faça lembrar que somos todos feitos de carne e osso. Um toque de humor. Um sentimento sazonal, mas nunca em excesso. Um cão [é preciso haver sempre um cão]. Um enredo e algum suspense que nos prenda ao écran. Algo que nos faça engolir em seco. Foi isto que fez um site de vendas online com um anúncio com o título: "Inglês para principiantes". Então? Atingimos o nosso objetivo? Com ou sem lágrima?

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.