sicnot

Perfil

Mundo

Advogado chinês especializado em direitos humanos condenado a 12 anos de prisão

Lin Ru, a mulher de Xia Lin, junto ao tribubal onde o marido foi condenado.

© Damir Sagolj / Reuters

Um tribunal chinês condenou o advogado Xia Lin a 12 anos de prisão, naquele que é o mais recente caso de repressão de defensores de direitos humanos no país, informou hoje a sua defesa.

Xia ficou conhecido pela defesa do artista Ai Weiwei e do seu colega, também advogado na área dos direitos humanos, Pu Zhiqiang, que foi detido após um seminário privado em que se discutiu o massacre de Tiananmen, em 1989.

"O tribunal condenou Xia Lin a 12 anos de prisão por fraude", disse o seu advogado, Dong Xikui, à agência AFP.

A polícia deteve Xia em novembro de 2014, e mais tarde acusou-o de obter, através de fraude, 100 milhões de yuan (13 milhões de euros) para pagar dívidas de jogo, de acordo com um comunicado da defesa.

O julgamento começou em junho deste ano, em Pequim.

"Declarámo-nos inocentes, mas o tribunal aceitou apenas parte da nossa defesa e reduziu o valor da fraude de mais de 100 milhões para 48 milhões", indicou o seu advogado.

O Presidente chinês, Xi Jinping, tem vindo a reforçar o controlo à sociedade civil desde que assumiu poder em 2012, acabando com as possibilidades de ativismo que tinham aberto nos últimos anos.

Apesar de inicialmente o Governo incidir sobre ativistas políticos e pessoas envolvidas em campanhas por direitos humanos, tem cada vez mais focado a sua atenção nos profissionais legais que os representam.

No ano passado, as autoridades detiveram mais de 200 pessoas, na chamada "repressão 709" -- assim apelidada devido à data das detenções, 09 de julho --, incluindo advogados que aceitaram casos de direitos civis considerados sensíveis pelo Partido Comunista Chinês.

Pu, o advogado detido por participar no evento sobre Tiananmen, recebeu uma pena suspensa de três anos de prisão em dezembro por "incitar ódio étnico" e "gerar conflitos e problemas".

A sentença de Xia foi invulgarmente severa, e de acordo com Maya Wang, uma investigadora para a Ásia da organização de defesa dos direitod humanos da Human Rights Watch, vai "provocar um profundo arrepio à comunidade de advogados de direitos humanos que tem sido alvo de repressão continuada pelo governo de Xi no último ano".

"A sentença é chocante, não apenas pela sua extensão, mas também porque foi aplicada a um advogado de direitos humanos que tem tentado proteger-se ao adotar uma postura discreta e técnica no seu trabalho", afirmou.

Lusa

  • Não houve feridos no incêndio que destruiu parte do empreendimento Zmar
  • Tornada pública correspondência entre Barroso e Goldman Sachs em 2005

    Mundo

    O fim de semana está a ser marcado por revelações na imprensa sobre as relações de proximidade entre a Comissão Europeia e o banco Goldman Sachs durante os mandatos de Durão Barroso. As notícias são do jornal Público, que consultou os arquivos da comissão em Bruxelas e que escreve que os banqueiros faziam chegar ao gabinete de Barroso sugestões de alteração às políticas europeias.

  • Costa diz que quem cumpre as obrigações nada tem a recear

    País

    Em resposta às críticas de José Sócrates quanto à aprovação do diploma relativo ao sigilo bancário, António Costa diz que quem cumpre as obrigações, nada tem a recear. Em visita aos Açores, o primeiro-ministro reforçou que a medida vai trazer maior justiça fiscal.

  • Vieira da Silva confirma apoio para quem quiser ir trabalhar para o interior

    Economia

    É já este ano que o Governo conta ter uma medida de apoio aos desempregados que aceitem ir trabalhar para o interior. A confirmação é do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Vieira da Silva, que participou este sábado na Universidade de Verão das Mulheres Socialistas de Lisboa, disse que este é um dos incentivos do Governo no âmbito da proteção social.

  • Catarina Martins insiste que IRS deve ser mais progressivo

    Economia

    Catarina Martins insiste que o IRS deve ser mais progressivo para proteger quem tem menores salários. Na reação à manchete do Expresso, que dá conta de que as famílias com maiores rendimentos podem vir a pagar menos impostos por via do fim da sobretaxa, a coordenadora do Bloco de Esquerda sublinha apenas que a medida era uma promessa eleitoral que tem que ser cumprida.

  • Ministro promete atualização das pensões no próximo ano

    Economia

    O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social promete uma atualização das pensões no próximo ano. À margem de um encontro das mulheres socialistas de Lisboa, Vieira da Silva garantiu ainda que o próximo Orçamento do Estado vai continua a centrar-se na defesa dos mínimos sociais e na estabilidade do sistema de proteção social.

  • Mulher do afro-americano morto pela polícia em Charlotte divulga imagens dos disparos
  • Papa recebe famílias das vítimas de Nice

    Atentado em Nice

    O Papa Francisco recebeu este sábado no Vaticano as famílias das vítimas do atentado de Nice, um massacre efetuado em meados de julho com um camião e que fez 84 mortos. Foi uma audiência comovente, em que Francisco apelou ao diálogo entre as religiões e à paz.