sicnot

Perfil

Mundo

Ataque aéreo saudita mata 20 civis no Iémen

© Reuters

Ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita mataram 20 civis na cidade portuária iemenita de Hodeida, controlada por rebeldes xiitas houthis, na quarta-feira à noite.

Os ataques atingiram o bairro de Suq al-Hunod, no porto do Mar Vermelho, disse à agência AFP um responsável do Governo do Presidente Abedrabbo Mansour Hadi, apoiado pela coligação liderada pela Arábia Saudita.

Estes ataques aconteceram horas depois de os rebeldes celebrarem o segundo aniversário da tomada da capital do país, Sanaa.

Os houthis, membros da minoria zaidita (xiita), partiram do seu bastião em Saada, no norte do Iémen, para tomar a capital, Sanaa, em 21 de setembro de 2014, de onde continuaram para a conquista de várias regiões do país.

Atualmente, as forças leais a Hadi concentram-se principalmente no sul do Iémen, de onde têm tentado, sem grande sucesso, conquistar as regiões setentrionais do país.

Desde a intervenção da coligação árabe no conflito, em março de 2015, a guerra fez mais de 6.600 mortos, de acordo com as Nações Unidas.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras