sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas duvidam que se possa limitar aquecimento gobal a 1,5ºC

Cientistas do clima reunidos esta semana em Oxford (Reino Unido) consideram que será "muito difícil" alcançar o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5 graus celsius, tal como ficou definido na Conferência de Paris, em dezembro.

Em dezembro, a comunidade internacional - sob a égide da ONU - fixou o compromisso de limitar o aumento da temperatura a valores "bem abaixo dos 2 graus celsius" em relação à era pré-industrial, desejavelmente nos 1,5 graus.

"Nesta fase, não temos mais do que alguns cenários que apontam para esse objetivo (do aumento máximo de 1,5°), e trata-se de casos particulares", sublinhou a climatóloga francesa Valérie Masson-Delmotte, citada pela agência France Presse.

Os diferentes modelos climáticos incluem centenas de cenários para reduzir - com a velocidade adequada - a emissão de gases com efeito de estufa, que estão na origem de um aquecimento global que atingiu valores nunca vistos. No entanto, apenas um punhado de cenários hipotéticos resultam num aumento inferior aos 1,5° fixados em Paris.

"Este objetivo de 1,5 graus apanhou a comunidade científica de surpresa", explicou Jim Hall, diretor do Instituto de Alterações Ambientais de Oxford, que acolhe até domingo uma conferência dedicada a este tema.

O objetivo dos 2°C já tinha sido fixado na conferência sobre o clima de Copenhaga, em 2009. Mas no final de 2015, perante um número cada vez maior de desastres climatéricos, os dirigentes de todo o mundo decidiram impor um objetivo mais exigente, de 1,5°C.

Vários países, sobretudo economias emergentes, criticaram os possíveis efeitos desta decisão para a evolução do seu crescimento.

No final, a decisão foi saudada como uma vitória política, em particular para os países mais vulneráveis, ilhas ou países costeiros.

Os cientistas recordam que, neste momento, a tendência mundial será de um aquecimento global de pelo menos 3°C até ao final do século, o que representaria muitas áreas devastadas e a extinção de numerosas espécies.

"A má notícia (para o objetivo 1,5º) é que nós já estamos a dois terço do caminho", recorda Hall, recordando que o planeta já aqueceu mais +1°C em relação ao nível anterior à Revolução Industrial.

Se o objetivo de 2°C era já considerado muito ambicioso, tanto a nível técnico como político, para numerosos cientistas é quase impossível atingir o limiar dos 1,5º Celsius.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.