sicnot

Perfil

Mundo

Exército sírio lança ofensiva para recuperar cidade de Alepo

O exército sírio lançou esta quinta-feira uma ofensiva para retomar o lado leste da cidade de Alepo, que está nas mãos das forças rebeldes, alertando os moradores para se manterem afastados das posições dos combatentes anti-regime.

"O comando de operações militares anuncia o início de manobras nos distritos no leste da cidade e apela aos moradores para se manterem afastados das posições dos grupos terroristas", indicou o exército sírio num comunicado distribuído pela agência de notícias estatal SANA.

O anúncio surgiu poucos minutos depois de os Estados Unidos (EUA) e a Rússia terem acordado uma nova ronda negocial em Nova Iorque para tentar salvar o seu plano de cessar-fogo e após longas horas de um bombardeamento intensivo que deixou Alepo em chamas.

O exército também disse que ia tomar "todas as medidas para facilitar a receção" de civis e que os que chegarem aos seus postos de controlo não serão presos.

Por seu turno, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos relatou que esteve em curso "uma ofensiva terrestre de larga escala apoiada por ataques aéreos das forças russas, visando a recuperação do setor oriental de Alepo e esvaziando a cidade dos seus residentes".

Os alvos iniciais foram as zonas de Amiriyah, Sukari e Sheikh Said, segundo Rami Abdel Rahman, que lidera o observatório.

Horas antes, o observatório tinha revelado que os bombardeamentos e raides aéreos que começaram ainda durante a noite de quarta-feira contra os bairros de Bustan al-Qasr e Al-Kalasseh deram origem a "fogos massivos".

Os cerca de 250 mil residentes da zona leste de Alepo, que está ocupada pelos rebeldes desde 2012, têm vivido sob cerco das forças governamentais desde o início de setembro.

Lusa

  • Presidente da Síria culpa EUA pelo fim das tréguas
    1:21

    Mundo

    O Presidente da Síria culpa os Estados Unidos da América pelo fim das tréguas e nega qualquer envolvimento no ataque desta semana a uma coluna humanitária em Alepo. As declarações marcam o regresso da guerra às maiores cidades. O enviado da ONU está a tentar relançar conversações para negociar novas tréguas.

  • França apela na ONU para que guerra na Síria seja travada
    0:52

    Mundo

    Após o Conselho de Segurança das Nações Unidas, o ministro dos Negócios Estrangeiros francês afirmou que tudo tem de ser feito para reforçar as tréguas na Síria. Jean-Marc Ayrault realçou a ideia de que a guerra na Síria representa uma ameaça para o povo sírio e que o objetivo tem de passar por travar o terrorismo.

  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.