sicnot

Perfil

Mundo

Netanyahu diz que ONU se tornou numa farsa

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, considerou esta quinta-feira que a ONU se converteu numa "farsa moral" e disse que o conflito israelo-palestiniano "nunca" esteve relacionado com a colonização israelita, denunciada na mesma tribuna pelo líder palestiniano Mahmud Abbas.

"A ONU começou como uma força moral e converteu-se numa farsa moral", disse Netanyahu, ao fornecer como exemplo o facto de a Assembleia-geral, onde discursava, ter aprovado 20 resoluções contra Israel em 2015 e três contra todos os restantes Estados-membros.

Após criticar a "obsessão" de uma maioria dos Estados-membros face ao seu país, Netanyahu também sublinhou na sua intervenção que o conflito israelo-palestiniano "nunca" esteve relacionado com a colonização israelita, mas antes "com a existência de um Estado judeu, um Estado judeu quaisquer que sejam as suas fronteiras".

Ao citar Haifa, Jaffa e Telavive, cidade de Israel, acrescentou: "Eis verdadeiramente as colónias às quais eles [os palestinianos] se opõem".

No entanto, reconheceu que a colonização constitui "um verdadeiro assunto" mas disse que "pode e deve ser resolvido no âmbito das negociações sobre o estatuto final" dos territórios palestinianos".

Cerca de uma hora antes, o presidente palestiniano Mahmud Abbas tinha afirmado na mesma tribuna que o prosseguimento da colonização israelita na Cisjordânia iria destruir toda a esperança de uma solução a dois Estados.

Na sua intervenção perante a Assembleia geral, e apesar das suas críticas, o chefe do Governo israelita disse estar convencido que as atitudes do mundo face ao seu país estão a começar a mudar e que dentro de alguns anos Israel poderá "aplaudir" as Nações Unidas.

"Israel tem um grande futuro na ONU. Sei que escutar isso vindo de mim pode ser uma surpresa, porque ano após anos subi a este pódio e critiquei duramente a ONU pelas suas objeções contra Israel", ironizou.

Na sua perspetiva, esta nova situação positiva chegará à medida que mais governos reconheçam Israel como um "forte parceiro", incluindo no mundo árabe.

Netanyahu também insistiu em apresentar uma visão otimista do futuro e mostrou-se convencido que Israel vai obter uma paz duradoura com todos os seus vizinhos, apesar de não ter poupado a anterior intervenção de Mahmud Abbas.

"Digo ao presidente Abbas que tem uma decisão: pode continuar a agitar o ódio, como hoje, ou fazer-lhe frente e trabalhar comigo para a paz", assinalou.

Numa referência a este persistente conflito no Médio Oriente, Netanyahu reiterou o seu compromisso para uma solução de dois Estados mas frisou que o seu país não aceitará que os termos "sejam ditados a partir da ONU".

"O caminho para a paz passa por Jerusalém e Ramallah, não por Nova Iorque", sustentou.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.