sicnot

Perfil

Mundo

Aviões sírios e russos atacam Alepo e matam pelo menos três pessoas

© Reuters

Aviões sírios e russos atacaram esta sexta-feira, durante a noite e madrugada, áreas da cidade de Alepo controladas pelos rebeldes, matando pelo menos três pessoas, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Os ataques deixaram ainda dezenas de feridos e o OSDH teme que haja mais mortos entre os escombros.

Os raides aéreos surgiram depois de o exército sírio anunciar uma nova ofensiva para recuperar o controlo de toda a cidade.

Pelo menos 30 ataques atingiram o leste da cidade, controlado pelos rebeldes, durante a noite e início da manhã de hoje, acrescentou o OSDH.

O diretor desta organização sediada em Londres, Rami Abdel Rahman, disse que aviões russos foram vistos a realizar o ataque, ao lado da aviação russa.

"Os Sírios lançam bombas de barril e a aviação russa lança ataques", disse à AFP.

Um correspondente da agência francesa adiantou que dois centros de defesa civis foram danificados no bombardeamento.

O exército sírio anunciou na quinta-feira à noite que lançaria uma nova ofensiva para retomar as partes da cidade que ainda estão controladas pelos rebeldes.

O Observatório disse tratar-se de "uma ofensiva terrestre de grande escala apoiada pelos raides aéreos russos com o objetivo de retomar, pouco a pouco, o setor oriental de Alepo e esvaziá-lo dos seus residentes".

Uma trégua negociada entre a Rússia e os EUA suspendeu temporariamente a violência este mês, mas foi interrompida ao fim de uma semana sem que se verificasse a prometida entrega de bens de ajuda humanitária.

O enviado das Nações Unidas Staffan de Mistura avisou: "O que está a acontecer é que Alepo está a ser atacada e toda a gente está a voltar ao conflito".

Alepo foi em tempos o centro comercial e industrial da Síria, mas foi destruída pelo conflito e dividida entre o controlo governamental, no oeste, e rebelde, no leste, desde meados de 2012.

Os distritos controlados pelos rebeldes têm estado cercados pelo exército desde há dois meses.

Mais de 300 mil pessoas já morreram na Síria desde que o conflito começou com protestos antigovernamentais em março de 2011.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.