sicnot

Perfil

Mundo

Bombardeamentos sírios e russos matam 27 civis em Alepo

© Abdalrhman Ismail / Reuters

Aviões sírios e russos atacaram esta sexta-feira, durante a noite e madrugada, áreas da cidade de Alepo controladas pelos rebeldes, matando pelo menosPelo menos 27 civis, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Pelo menos 27 civis, entre os quais três crianças, foram mortos e dezenas de outros feridos nos ataques de aviões russos e de helicópteros do regime sobre várias zonas de Alepo", relatou o Observatório.

Os ataques deixaram ainda dezenas de feridos e o OSDH teme que haja mais mortos entre os escombros.

Os raides aéreos surgiram depois de o exército sírio anunciar uma nova ofensiva para recuperar o controlo de toda a cidade.

Pelo menos 30 ataques atingiram o leste da cidade, controlado pelos rebeldes, durante a noite e início da manhã de hoje, acrescentou o OSDH.

O diretor desta organização sediada em Londres, Rami Abdel Rahman, disse que aviões russos foram vistos a realizar o ataque, ao lado da aviação russa.

"Os Sírios lançam bombas de barril e a aviação russa lança ataques", disse à AFP.

Um correspondente da agência francesa adiantou que dois centros de defesa civis foram danificados no bombardeamento.

O exército sírio anunciou na quinta-feira à noite que lançaria uma nova ofensiva para retomar as partes da cidade que ainda estão controladas pelos rebeldes.

O Observatório disse tratar-se de "uma ofensiva terrestre de grande escala apoiada pelos raides aéreos russos com o objetivo de retomar, pouco a pouco, o setor oriental de Alepo e esvaziá-lo dos seus residentes".

Uma trégua negociada entre a Rússia e os EUA suspendeu temporariamente a violência este mês, mas foi interrompida ao fim de uma semana sem que se verificasse a prometida entrega de bens de ajuda humanitária.

O enviado das Nações Unidas Staffan de Mistura avisou: "O que está a acontecer é que Alepo está a ser atacada e toda a gente está a voltar ao conflito".

Alepo foi em tempos o centro comercial e industrial da Síria, mas foi destruída pelo conflito e dividida entre o controlo governamental, no oeste, e rebelde, no leste, desde meados de 2012.

Os distritos controlados pelos rebeldes têm estado cercados pelo exército desde há dois meses.

Mais de 300 mil pessoas já morreram na Síria desde que o conflito começou com protestos antigovernamentais em março de 2011.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.