sicnot

Perfil

Mundo

General Augusto Pinochet mandou assassinar o seu principal oponente

Augusto Pinochet

DI BAIA

O general Augusto Pinochet ordenou pessoalmente a morte do seu oponente Orlando Letelier, assassinado em 1976, em Washington, segundo documentos desclassificados pela CIA e entregues esta sexta-feira pelos Estados Unidos ao Chile.

Os documentos foram entregues ao Presidente do Chile, Michelle Bachelet, durante uma cerimónia no local da explosão para assinalar o 40.º aniversário do assassínio de Orlando Letelier.

Os documentos incluem um relatório da CIA de 1987 a atestar que o próprio Pinochet tinha orquestrado o ataque nas ruas de Washington.

"Temos a prova de que Augusto Pinochet ordenou pessoalmente ao seu chefe dos serviços secretos a morte" de Orlando Letelier, afirmou Peter Kornbluh, especialista nos Arquivos de Segurança Nacional.

Orlando Letelier

Orlando Letelier

AS

Orlando Letelier era um ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do presidente socialista Salvador Allende e um dos mais ferozes opositores de Augusto Pinochet.

O antigo político morreu juntamente com a mulher e um norte-americano na explosão do seu carro, armadilhado pela temida polícia secreta de Pinochet, a Dina.

A explosão ocorreu a 21 de setembro de 1976, no coração de Washington, na zona das embaixadas.

Aquela explosão foi a única ação terrorista orquestrada por um Estado estrangeiro que ocorreu em Washington e provocou protestos na capital dos Estados Unidos.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.