sicnot

Perfil

Mundo

General Augusto Pinochet mandou assassinar o seu principal oponente

Augusto Pinochet

DI BAIA

O general Augusto Pinochet ordenou pessoalmente a morte do seu oponente Orlando Letelier, assassinado em 1976, em Washington, segundo documentos desclassificados pela CIA e entregues esta sexta-feira pelos Estados Unidos ao Chile.

Os documentos foram entregues ao Presidente do Chile, Michelle Bachelet, durante uma cerimónia no local da explosão para assinalar o 40.º aniversário do assassínio de Orlando Letelier.

Os documentos incluem um relatório da CIA de 1987 a atestar que o próprio Pinochet tinha orquestrado o ataque nas ruas de Washington.

"Temos a prova de que Augusto Pinochet ordenou pessoalmente ao seu chefe dos serviços secretos a morte" de Orlando Letelier, afirmou Peter Kornbluh, especialista nos Arquivos de Segurança Nacional.

Orlando Letelier

Orlando Letelier

AS

Orlando Letelier era um ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do presidente socialista Salvador Allende e um dos mais ferozes opositores de Augusto Pinochet.

O antigo político morreu juntamente com a mulher e um norte-americano na explosão do seu carro, armadilhado pela temida polícia secreta de Pinochet, a Dina.

A explosão ocorreu a 21 de setembro de 1976, no coração de Washington, na zona das embaixadas.

Aquela explosão foi a única ação terrorista orquestrada por um Estado estrangeiro que ocorreu em Washington e provocou protestos na capital dos Estados Unidos.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".