sicnot

Perfil

Mundo

General Augusto Pinochet mandou assassinar o seu principal oponente

Augusto Pinochet

DI BAIA

O general Augusto Pinochet ordenou pessoalmente a morte do seu oponente Orlando Letelier, assassinado em 1976, em Washington, segundo documentos desclassificados pela CIA e entregues esta sexta-feira pelos Estados Unidos ao Chile.

Os documentos foram entregues ao Presidente do Chile, Michelle Bachelet, durante uma cerimónia no local da explosão para assinalar o 40.º aniversário do assassínio de Orlando Letelier.

Os documentos incluem um relatório da CIA de 1987 a atestar que o próprio Pinochet tinha orquestrado o ataque nas ruas de Washington.

"Temos a prova de que Augusto Pinochet ordenou pessoalmente ao seu chefe dos serviços secretos a morte" de Orlando Letelier, afirmou Peter Kornbluh, especialista nos Arquivos de Segurança Nacional.

Orlando Letelier

Orlando Letelier

AS

Orlando Letelier era um ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do presidente socialista Salvador Allende e um dos mais ferozes opositores de Augusto Pinochet.

O antigo político morreu juntamente com a mulher e um norte-americano na explosão do seu carro, armadilhado pela temida polícia secreta de Pinochet, a Dina.

A explosão ocorreu a 21 de setembro de 1976, no coração de Washington, na zona das embaixadas.

Aquela explosão foi a única ação terrorista orquestrada por um Estado estrangeiro que ocorreu em Washington e provocou protestos na capital dos Estados Unidos.

Lusa

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.