sicnot

Perfil

Mundo

Manifestantes desafiam recolher obrigatório nas ruas de Charlotte, EUA

Centenas de manifestantes desafiaram hoje o recolher obrigatório imposto pela câmara municipal de Charlotte (Estados Unidos), que começava à meia-noite (05:00 em Lisboa) e continuaram os protestos por causa da morte de um afro-americano pela polícia.

Um correspondente da agência AFP no local verificou que centenas de manifestantes se mantinham no centro da cidade pela terceira noite consecutiva, perante forte presença familiar.

Após duas noites de distúrbios que fizeram um morto, vários feridos e meia centena de detidos, a presidente da câmara de Charlotte decretou, na quinta-feira à noite, recolher obrigatório a partir da meia-noite (05:00 de hoje em Lisboa), ao aperceber-se que novos protestos começavam a formar-se nas ruas.

Centenas de pessoas saíram pela terceira noite consecutiva para as ruas em protesto pela morte de Keith Scott, mas até agora não se registaram confrontos com as autoridades.

Os protestos começaram na terça-feira depois de a polícia matar a tiro Scott, de 43 anos, no parque de estacionamento de um complexo residencial.

A polícia acusou Scott de estar armado e de representar uma "ameaça de morte iminente" para os agentes, um relato que familiares e testemunhas rejeitam.

Lusa

  • Distúrbios após morte de afro-americano pela polícia na Carolina do Norte
    2:26

    Mundo

    A cidade norte-americana de Charlotte, na Carolina do Norte, foi palco de distúrbios durante a noite, depois da morte, na terça-feira, de Keith Lamont Scott, um afro-americano de 43 anos baleado horas antes pela polícia. Nos Estados Unidos, prossegue a polémica sobre a violência policial, em especial contra negros. Só desde sexta-feira foram mortos dois homens, um em Oklahoma e outro na Carolina do Norte.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras