sicnot

Perfil

Mundo

Ministro da Defesa do Reino Unido espera que ataque a Mossul comece nas próximas semanas

O ministro da Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, afirmou esta sexta-feira que espera que uma operação de cerco a Mossul, com vista à sua conquista, comece nas próximas semanas.

Mossul, a segunda cidade do Iraque, nas margens do rio Tigre, está sob controlo do grupo que se designa por Estado Islâmico.

A recuperação do seu controlo constitui agora o objetivo supremo das forças iraquianas, apoiadas pela coligação internacional liderada pelos EUA, na guerra contra aquele grupo.

"Não há dúvidas que a derrota espera o Daesh [outra forma de designar o grupo]. Estamos em vias de libertar a última grande cidade do Iraque, Mossul", afirmou Fallon, à comunicação social, ao regressar a Londres após três dias no Iraque.

"Mossul é uma cidade grande e complexa, mas vai cair, cair em breve. Espero que a operação para o seu cerco comece nas próximas semanas", afirmou o ministro, adiantando que as tropas iraquianas estavam a preparar-se para esta operação.

Estas tropas avançaram na quinta-feira, com a tomada da cidade de Charqat, situada a 80 quilómetros a sul de Mossul e nas proximidades das vias de abastecimento para o exército que este vai usar quando lançar a ofensiva contra este bastião do Daesh.

O governo iraquiano prometeu reconquistar Mossul até ao final do ano e dirigentes militares norte-americanos deram a entender que a ofensiva final sobre Mossul poderia começar em outubro.

Os dirigentes de Bagdad terão porem de resolver uma série de desafios -- políticos, militares e humanitários -- antes de uma eventual vitória em Mossul.

Mesmo que a ofensiva final seja lançada em outubro, vão ser necessárias semanas, ou meses inclusive, antes de a cidade ser conquistada, pelas estimativas de analistas.

Michael Fallon reconheceu, por seu lado, que a queda de Mossul não significaria o fim do Daesh no Iraque, estimando contudo que o país se poderia livrar do grupo "nos próximos meses".

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.