sicnot

Perfil

Mundo

Vários mortos em ataque a aeroporto no Congo

Um ataque ao aeroporto de Kananga, no centro da República Democrática do Congo, realizado por apoiantes de um chefe tradicional, morto em agosto pelas forças da ordem, causou "numerosos mortos" na quinta e sexta-feira.

"Houve confrontos em Kananga, mas a calma regressou [hoje] ao fim da manhã", disse à AFP o porta-voz do Governo congolês, Lambert Mende.

Segundo balanços contraditórios de várias fontes compilados pela AFP, os confrontos terão causado entre pelo menos dez mortos e várias dezenas.

"Registámos sete mortos entre os militares e 40 entre as fileiras dos assaltantes, miliciano do chefe Kamwena Nsapu", declarou, sob anonimato, um membro do gabinete do governador da província de Kasai-Central, da qual Kananga é a capital.

Questionado sobre o balanço de várias dezenas de mortos, Mende respondeu que "a calma regressou, talvez com esse preço", acrescentando: "Estamos em trabalho de avaliação" para esclarecer todo o assunto.

Uma fonte militar ocidental assegurou que "há certamente mais de dez mortos", mas "menos de 20".

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50