sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de manifestantes contra a legalização do casamento gay no México

© Carlos Jasso / Reuters

Milhares de pessoas, vestidas de branco, participaram este sábado na Cidade do México numa marcha para contestar a intenção do Presidente, Enrique Peña Nieto, de legalizar o casamento homossexual em todo o país.

Simpatizantes da causa homossexual, empunhando bandeiras multicoloridas, organizaram, na mesma zona, um encontro para apoiar o casamento entre pessoas do mesmo género, mas a polícia colocou barreiras e dezenas de agentes nas ruas para evitar que apoiantes e opositores se encontrassem.

À frente da marcha organizada pela Frente Nacional pela Família, que reúne grupos religiosos conservadores, surgiam cartazes com a imagem da Virgem de Guadalupe, padroeira do México, e outros em que se lia "A minha família é como a de Nazaré", com desenhos representando as silhuetas de Maria, José e Jesus.

Luis Gallego, porta-voz da União Nacional Cristã para a Família, rodeado por um forte aparato de segurança, disse à agência de notícias France-Presse que, para ser protegida, uma criança precisa de uma família "formada por um homem e uma mulher".

Junto ao percurso dos manifestantes anti-casamento homossexual, um grupo de jovens exibiam cartazes afirmando "Eu sou católico e sou gay. Quero praticar contigo!".

Em maio passado, o Presidente mexicano anunciou a intenção de reformar a Constituição para autorizar, em todo o país, o casamento entre pessoas do mesmo género, até agora limitado a certas regiões.

A Cidade do México é, desde 20017, a primeira na América Latina a autorizar as uniões civis entre pessoas do mesmo sexo, antes de legalizar o casamento homossexual, em 2009. No entanto, tal apenas é permitido em alguns Estados mexicanos.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59