sicnot

Perfil

Mundo

Ajuda humanitária chega a quatro localidades sírias

© Omar Sanadiki / Reuters

Um comboio de ajuda humanitária constituído por 71 camiões conseguiu este domingo chegar às localidades sírias sitiadas de Madaya e Zabadani, nos arredores de Damasco, e a Fua e Kefraya, no norte, pela primeira vez desde abril.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) confirmou à agência noticiosa Efe que o comboio humanitário, organizado por esta organização, pelo Crescente Vermelho e a ONU, conseguiu entregar a ajuda humanitária, composto por alimentos, medicamentos e produtos higiénicos às populações.

Em Madaya, com 40.000 habitantes, e em Zadani, com apenas mil moradores, chegaram 52 camiões com ajuda.

Os restantes veículos destinavam-se a Fua e Kefraya, que contam cerca de 20.000 habitantes, as duas localidades.

Madaya e Zabadani, na periferia de Damasco, estão cercadas pelas tropas do regime desde há um ano, enquanto as localidades xiitas de Fua e Kefraya, se encontram cercadas, também desde o ano passado, por fações armadas que controlam quase toda a província de Idlep.

Os levantamentos dos cercos armados das localidades sírias, e a distribuição humanitárias sem quaisquer restrições, nem condições, são exigências fundamentais da oposição síria, assim como da ONU.

Lusa

  • Bombardeamentos russos e sírios deixam Alepo sem água
    1:49

    Mundo

    Pelo menos 32 pessoas morreram nas últimas horas na Síria, onde as tropas governamentais apertaram o cerco a Alepo. A ofensiva terrestre para recuperar as áreas controladas pela oposição já dura há vários dias. Os rebeldes dizem nas redes sociais que a comunidade internacional está em silêncio perante as atrocidades cometidas polo regime. A cidade de Alepo ficou sem água canalizada devido aos bombardeamentos desta semana.

  • Solução governativa à esquerda "devolveu tranquilidade à sociedade"
    0:58

    País

    O primeiro-ministro diz que a atual solução de Governo deve continuar tendo vantagens por ser como é. Ao Expresso, António Costa manifestou-se "muito satisfeito" com a solução governativa encontrada e afirmou que esta "não depende de haver ou não maioria" absoluta na próxima legislatura.

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43