sicnot

Perfil

Mundo

Suíços aprovam hoje aumento do controlo dos serviços secretos sobre os cidadãos

© Christian Hartmann / Reuters

Os suíços deverão aprovar hoje em referendo o aumento da capacidade dos serviços secretos de inteligência e vigilância do país para controlar a vida privada dos cidadãos com o objetivo de reforçar a luta contra o terrorismo, segundo várias sondagens.

De acordo com a pesquisa do jornal Le Temps, a iniciativa deverá ter o apoio de 66% dos eleitores.

Os helvéticos deverão assim permitir que as autoridades monitorizem as comunicações (contactos telefónicos e por correio eletrónico) e a colocar câmaras ou microfones, entre outras coisas, em suspeitos, sempre com a autorização prévia das autoridades judiciais e executivas do país.

A lei permitirá que seja vigiada uma pessoa que regressou de um lugar com ativistas radicais islâmicos, supostos espias ou grupos armados estrangeiros.

Até à data, a legislação suíça em vigor prevê que as autoridades só podem usar as informações que estão disponíveis de forma pública ou obtidas a partir de outros serviços de inteligência estrangeiros.

As autoridades do país argumentam que a nova regulação não vai tão longe como em países mais rígidos, como os Estados Unidos.

Já aqueles que se opõem argumentam que pode minar a 'sacrossanta' neutralidade helvética ao permitir a cooperação mais estreita com serviços de inteligência exteriores.

A nova lei foi aprovada o ano passado, mas não foi executada porque os seus opositores convocaram um referendo para o revogar, o que falharam.

Além disso, também hoje, os suíços rejeitaram uma iniciativa destinada a reduzir o consumo de recursos naturais do país para um máximo que é sustentável para proteger o meio ambiente hoje, assim como se opuseram a um plano que visava aumentar as pensões dos aposentados, com mais de 60% dos votos em ambos os casos, também segundo sondagens do Le Temps.

Lusa

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.