sicnot

Perfil

Mundo

Fumar deixa marcas duradouras no ADN

reuters

Os fumadores ficam com a "pegada" do seu vício inscrita nos genes durante muito tempo. Uma marca que pode ser usada para identificar e desenvolver tratamentos para doenças relacionadas com o tabaco, conclui novo estudo agora publicado.

Publicado na revista da Associação norte-americana do Coração, "Circulation: Cardiovascular Genetics", o estudo conclui que o tabagismo pode afetar o genoma humano, através através da metilação - um processodo qual as células controlam a atividade dos genes.

A análise de quase 16 mil amostras de sangue de fumadores, ex-fumadores e não fumadores concluiu que o fumo de tabaco deixa um legado na superfície do ADN dos fumadores.

Stephanie J. London, uma das autoras, explica que os resultados mostram que mesmo depois de um indivíduo deixar de fumar, ainda se observam os efeitos do tabagismo no seu ADN.

"A notícia encorajadora é que, uma vez que se deixa de fumar, a maioria dos sinais de metilação voltam aos níveis de um não fumador após cinco anos, o que significa que o corpo está a tentar curar-se dos efeitos nocivos do consumo do tabaco", explica também Roby Joehenes, outro dos autores do estudo.

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • Visita de Estado ao Luxemburgo
    1:34

    País

    O Presidente da República chega esta noite ao Luxemburgo para uma visita de Estado de dois dias. O contacto com a comunidade portuguesa, que é a maior comunidade no país, vai ser um dos pontos fortes da visita.

    Enviados SIC

  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.