sicnot

Perfil

Mundo

Homicídios nos EUA registam a maior subida desde 1971

A criminalidade violenta aumentou em 2015 nos Estados Unidos, com os homicídios a registarem uma subida de 10,8%, o maior crescimento percentual desde 1971, divulgou esta segunda-feira um relatório da polícia federal americana (FBI).

No ano passado, o FBI contabilizou um total de 1.197.704 infrações penais cometidas com violência, o que representou um aumento de 3,9% face a 2014.

A polícia federal americana classifica como criminalidade violenta os homicídios, as agressões violentas que provocam a morte, as violações, os roubos que são acompanhados por ameaças e violência e as agressões com armas.

Estas estatísticas são anunciadas algumas horas antes do primeiro debate televisivo entre os dois principais candidatos à Casa Branca, o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton, e poderão marcar uma acesa discussão sobre a temática da segurança interna.

Os dados são igualmente publicados no mesmo dia em que um homem abriu fogo num centro comercial em Houston, no estado do Texas (sul dos Estados Unidos) e feriu seis pessoas. O presumível atirador foi neutralizado pelas forças de segurança.

De acordo com o relatório anual do FBI, os homicídios verificaram um aumento global de 10,8%, o maior crescimento percentual desde 1971.

Este aumento, que continua porém a seguir uma tendência de queda de duas décadas, coloca o número de homicídios na fasquia dos 15.696, quase o mesmo número do que em 2009.

A taxa nacional de homicídios verificada em 2015 é ainda cerca de metade do que era em 1991, no auge da vaga de crime violento no final da década de 1980 e no início da década de 1990.

O destaque vai para os homicídios que envolveram armas de fogo (mais de dois em cada três casos), o que representou que o ano de 2015 registou cerca de 1.500 casos de homicídios com armas adicionais.

Nenhum outro tipo de arma registou um aumento comparável (71.5%). Aliás, o número de homicídios com armas brancas decresceu ligeiramente.

A par do aumento dos homicídios com armas de fogo, o relatório do FBI verifica igualmente o aumento dos assassinatos de cidadãos negros. Pelo menos mais 900 homens negros foram mortos em 2015 do que no ano anterior.

Apesar do aumento da criminalidade violenta, a taxa de criminalidade global do país não aumentou substancialmente. No ano passado, os crimes contra a propriedade registaram um decréscimo de 2,6%.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Sol influencia alterações climáticas na Terra

    Mundo

    As flutuações da atividade solar têm um efeito sobre o clima da Terra, concluiu um estudo de investigadores suíços, que conseguiu, pela primeira vez, estimar a influência do Sol no aquecimento do planeta.