sicnot

Perfil

Mundo

O abraço de Michelle e Bush está a correr mundo

O abraço de Michelle e Bush está a correr mundo

Durante a inauguração do Museu Nacional da História e Cultura Afro-Americana, a primeira dama, Michelle Obama teve um gesto que está a ser muito comentado nas redes sociais. Deu um abraço a George W. Bush. O momento enternecedor é notícia em todo o mundo.

George W. Bush recebeu um abraço especial de Michelle Obama. O momento enternecedor, durante a cerimónia de inauguração do Museu Nacional da História e Cultura Afro-Americana foi notícia em todo o mundo.

Esta não é a primeira vez que os Obama e Bush mostram ser bons amigos. O NY Times diz que Laura e Michelle costumam trocar conselhos sobre a educação das filhas.

Durante a inauguração, George W. Bush pediu ajuda a Barack Obama para tirar uma fotografia.

A inauguração é um dos eventos que marca o fim do mandato de Barack Obama. Acontece num momento de tensões raciais no país.

"Este é o lugar para compreender como os protestos e o amor pelo país não se limitam a coexistir; estão implicados um no outro. Mesmo perante as mais inimagináveis adversidades, a América seguiu em frente. E este museu proporcionará o contexto para as discussões do nosso tempo", disse Barack Obama.

O museu apresenta um acervo de cerca de 36.000 peças, documentos e objetos que traçam a história das pessoas africanas nos Estados Unidos, sem esquecer os tempos de esclavagismo, a segregação, o racismo e a influência na construção sociocultural do país.

A ideia da construção deste museu tem já um século, proposta pelos afro-americanos veteranos da Guerra Civil, mas a decisão só foi tomada em 2003, pelo então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que também esteve presente hoje na cerimónia.

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.