sicnot

Perfil

Mundo

Papa e Presidente do Congo pedem urgência na cooperação nacional e internacional

O papa Francisco e o Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Joseph Kabila, concordaram esta segunda-feira na necessidade urgente de "cooperação nacional e internacional" para restabelecer a convivência no país.

O líder da igreja Católica recebeu hoje o Presidente congolês numa reunião de 20 minutos, segundo um comunicado no Vaticano, em que falaram da persistência da "violência que afeta a população da zona oriental do país" e a "urgência de uma cooperação a nível nacional e internacional para proporcionara a assistência necessária e restabelecer a convivência civil".

Além das boas relações entre o país e a Santa Sé, o encontro centrou-se nos "recentes confrontos na capital", Kinshasa.

Durante o encontro, foi reiterada "a importância da colaboração entre os atores políticos e os representantes da sociedade civil e as comunidades religiosas, em prol do bem comum, mediante um diálogo respeitoso e inclusivo para a estabilidade e a paz no país".

Neste país africano, que ainda tenta recuperar de uma sangrenta guerra civil, verificaram-se novos confrontos, que causaram dezenas de mortos, depois de Kabila ter protelado a data das próximas eleições.

O último mandato de Joseph Kabila, no poder desde 2001, terminaria a 19 de dezembro, mas o Governo anunciou que, neste momento, não se realizarão novas eleições devido à falta de fundos e perante a impossibilidade de atualizar os censos antes dessa data.

Lusa

  • Vários mortos em ataque a aeroporto no Congo

    Mundo

    Um ataque ao aeroporto de Kananga, no centro da República Democrática do Congo, realizado por apoiantes de um chefe tradicional, morto em agosto pelas forças da ordem, causou "numerosos mortos" na quinta e sexta-feira.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.