sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Peru afirma que fumar um charro "não é o fim do mundo"

O novo Presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, cujo país é o segundo maior produtor de cocaína, afirmou que fumar um charro "não é o fim do mundo", mas não vai legalizar o seu consumo.

"Acho que liberalizar (o uso de) drogas não é tão simples e o Peru sózinho não vai fazê-lo. Sou uma pessoa liberal, fumar um charro não é o fim do mundo, mas as drogas duras, isso é grave", disse Pedro Pablo Kuczynski, com 78 anos, em entrevista no domingo ao canal de televisão N.

O Presidente do Peru, de centro direita, que assumiu o cargo no final de julho, participou hoje na assinatura do acordo de paz na Colômbia entre o Governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), que fazia do tráfico de droga das suas principais fontes de rendimento.

"Vários presidentes latino-americanos têm apoiado a legalização, mas o que posso dizer é que os países onde o uso da droga é livre, como os Países Baixos, Portugal e Suíça têm problemas sérios", acrescentou.

O Peru é o segundo maior produtor de folha de coca e cocaína, depois da Colômbia, uma atividade estimada em cerca de 8,5 mil milhões de dólares (cerca de 7,5 mil milhões de euros) por ano.

O Uruguai decidiu, em dezembro de 2013, legalizar a produção, distribuição e consumo de cannabis.

Lusa

  • A Catalunha "está farta da prepotência e dos abusos do governo"
    0:30
  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • Uber perde licença para operar em Londres

    Economia

    O regulador de transporte de Londres decidiu hoje que vai retirar à Uber a licença para operar na capital britânica. A proibição entra em vigor no final deste mês e vai afetar 40 mil motoristas da empresa multinacional norte-americana.

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Família Portugal Ramos
    15:01