sicnot

Perfil

Mundo

Rússia repudia "tom e retórica inadmissíveis" dos EUA e Reino Unido sobre a Síria na ONU

A Rússia repudiou hoje "o tom e a retórica inadmissíveis" dos embaixadores dos Estados Unidos e do Reino Unido na ONU, que no domingo acusaram as forças russas na Síria de barbárie e de crimes de guerra.

"Consideramos o tom e a retórica dos representantes do Reino Unido e dos Estados Unidos inadmissíveis e passíveis de prejudicar as nossas relações e o processo de resolução" do conflito, disse à imprensa o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov.

O porta-voz caracterizou a situação na Síria como "extraordinariamente complicada" e voltou a acusar os rebeldes de utilizarem o cessar-fogo para "se reagruparem e renovarem o seu arsenal" com vista a novas ofensivas.

"Constatamos igualmente que continua a não haver uma separação entre a chamada oposição moderada e os terroristas" em Alepo, acrescentou. "Isso torna a situação extremamente tensa".

Peskov sublinhou contudo que, apesar de os termos do cessar-fogo serem "pouco eficazes", a Rússia "não perde a esperança nem a vontade política" de avançar no processo de paz na Síria.

Durante o fim de semana, os países ocidentais endureceram o tom em relação à Rússia, acusando-a diretamente de organizar a ofensiva em curso contra Alepo.

A embaixadora norte-americana na ONU, Samantha Power, acusou mesmo Moscovo de "barbárie", o embaixador francês, François Delattre, referiu-se a "crimes de guerra" cometidos pelas forças russas que apoiam as do regime sírio na ofensiva em Alepo e o embaixador britânico, Matthew Rycroft, sugeriu uma análise dos factos pelo Tribunal Penal Internacional.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.