sicnot

Perfil

Mundo

Sexagenário que atingiu a tiro duas pessoas em França rendeu-se à polícia

O sexagenário francês que abriu fogo esta segunda-feira, em frente a um supermercado na região de Paris, ferindo gravemente duas pessoas, entregou-se às forças de elite da polícia horas depois de se ter barricado no seu apartamento.

O tiroteio aconteceu ao fim da manhã de hoje em Port-Marly, cerca de 30 quilómetros a oeste da capital francesa. De acordo com fontes judiciais, a motivação do homem para o crime terá sido "um litígio de ordem privada".

Na sequência dos disparos uma mulher de 57 anos e um homem de 73 anos ficaram gravemente feridos, encontrando-se hospitalizados "entre a vida e a morte", explicou à agência France Presse uma fonte próxima das investigações.

Após os disparos o homem barricou-se no seu domicílio, entregando-se horas depois -- juntamente com a sua mulher -- às forças de elite da polícia francesa. O apartamento do atirador situa-se a poucas centenas do supermercado em frente ao qual o homem começou a disparar.

O autor dos tiros "é conhecido da polícia" por "questões de Direito Comum", assegurou a mesma fonte.

O tribunal de Versailles, que tem a jurisdição sobre a área onde aconteceu o crime, descartou a possibilidade de se tratar de um ato de terrorismo.

A França está em alerta máximo desde há vários meses devido a atos de terrorismo jihadista mortíferos (à bomba, a tiro ou recorrendo a atropelamentos de multidões) que já resultaram em mais de duas centenas de mortos em cidades como Paris e Nice.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.