sicnot

Perfil

Mundo

UE vai suspender guerrilha colombiana da lista de organizações terroristas

A UE vai suspender as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) da lista de organizações terroristas após a assinatura do acordo de paz entre os guerrilheiros e o Governo colombiano, anunciou esta segunda-feira a chefe da diplomacia europeia.

"Esta decisão será efetiva após a assinatura do acordo de paz", em Cartagena (norte da Colômbia), disse Federica Mogherini, em comunicado.

As FARC não vão ser definitivamente retiradas da lista, criada após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque, mas esta suspensão permite levantar provisoriamente as sanções relacionadas com a presença das FARC na lista (congelamento de bens, proibição de dispor de fundos).

"Isto vai permitir-nos apoiar o programa após-conflito, benéfico para o povo colombiano", sublinhou Mogherini, numa intervenção difundida na rede social de partilha de vídeos YouTube pelo Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE), o serviço diplomático da UE.

"Estamos prestes a lançar um pacote de ajuda, incluindo um fundo de 600 milhões de euros, com a contribuição ativa de vários dos nossos Estados-membros", indicou, no comunicado.

Na UE, 27 países já forneceram a sua aprovação, com a Eslováquia a reservar o seu acordo apenas após a assinatura oficial, por "motivos simbólicos".

A suspensão das sanções vai prolongar-se por seis meses e será reexaminada no decurso desse período, acrescentaram as mesmas fontes.

Em 2002, a UE incluiu a guerrilha colombiana, em guerra contra o Governo desde 1964, na sua lista de organizações terroristas.

Os países europeus congelaram de seguida todos os fundos e bens financeiros dos membros das FARC.

OS EUA também continuam a manter a guerrilha marxista na sua lista de organizações terroristas.

Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.