sicnot

Perfil

Mundo

Zona leste de Alepo com 30 médicos para 250 mil habitantes

A zona leste da cidade de Alepo, sitiada desde julho pelas forças do regime e onde vivem 250.000 pessoas, incluindo 85.000 crianças, conta com apenas 30 médicos, disse esta segunda-feira o pediatra Abd Arrahman, representante da Associação Médica síria.

Entre os médicos sobreviventes existem apenas dois pediatras, além de quatro obstetras, os enfermeiros são escassos e falta material médico essencial para tratar os feridos dos ataques que se intensificaram na última semana.

Segundo Abd Arrahman, que falava perante o Conselho de Direitos Humanos da ONU, reunido em Genebra, nos últimos dias foram registados 280 mortos na área sitiada de Alepo e apenas no domingo registaram-se 400 feridos, entre os quais 61 crianças.

O médico adiantou que apenas oito hospitais continuam em funcionamento, metade dos quais parcialmente.

"Mais de metade dos médicos abandonaram a Síria desde que começou a guerra (abril de 2011) e o seu número em Alepo reduz-se cada vez mais", lamentou o pediatra, afirmando que há três meses havia 90 médicos a trabalhar na zona oriental da cidade.

"Existem médicos sírios dispostos a irem a Alepo para atenderem as pessoas, mas o cerco militar impede-os de o fazerem", disse ainda Abd Arrahman.

O pediatra indicou igualmente que "os ataques governamentais simultâneos contra vários hospitais na mesma cidade (...) impedem que os feridos possam receber cuidados".

"Em Alepo, o objetivo claro é destruir todo o sistema de saúde", disse o médico ativista, que conta com o apoio da Sociedade Médica Sírio-Americana e da organização não-governamental Médicos para os Direitos Humanos.

Face à imensidade das necessidades, a Sociedade Médica Sírio-Americana criou um centro para formação em enfermagem em Alepo, que também foi alvo de um bombardeamento o mês passado, referiu Mazen Kawara, representante da associação.

"Os hospitais e todos os lugares associados a eles converteram-se nos lugares mais perigosos da Síria", disse.

Lusa

  • Tomadas medidas para evitar danos ambientais após acidente na barra da Armona
    1:49

    País

    Quatro tripulantes foram transportados para o hospital com hipotermia, depois de terem caído ao mar. A embarcação onde seguiam, e que faz trabalhos de reposição de areias, virou-se esta manhã, na ilha da Armona, em Olhão. As autoridades vão abrir um inquérito para apurar as causas do acidente e estão a tomar medidas para evitar danos ambientais, visto que a embarcação transportava 12 mil litros de gasóleo.

  • Papa no Chile em ambiente de contestação à Igreja Católica
    3:13

    Mundo

    O Papa pediu hoje perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no Chile, referindo que sentiu "dor e vergonha" diante do "dano irreparável" causado às crianças vítimas de abuso sexual. Francisco está a cumprir uma deslocação de três dias ao Chile, onde a contestação à visita e à Igreja se faz sentir. O Papa enfrenta um ambiente hostil na sexta viagem à América Latina, devido à denúncia de abusos sexuais na Igreja.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • Apoio psicológico fundamental em Vila Nova da Rainha
    2:19
  • Projeto Bairros Sem Cárie levou 300 pessoas do Seixal ao dentista
    3:08

    País

    Portugal tem dos piores indicadores de saúde oral da Europa e ir ao dentista é quase um luxo. Num país assim ganham ainda mais relevância iniciativas como o projeto Bairros Sem Cárie. 300 pessoas de bairros sociais do Seixal tiveram uma consulta de estomatologia gratuita.

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.