sicnot

Perfil

Mundo

Acordo na Colômbia deve garantir justiça para milhões de vítimas, diz Amnistia

O êxito do histórico acordo de paz entre o Governo da Colômbia e a guerrilha das FARC, assinado na segunda-feira, depende da capacidade das autoridades de garantirem compensação para milhões de vítimas do conflito, alertou a Amnistia Internacional.


"Hoje será, com bons motivos, um dia de celebração na Colômbia. As autoridades devem agora garantir que este feito histórico não sofre nenhum descrédito", afirmou Erika Guevara-Rosas, diretora para as Américas da organização não governamental de defesa dos direitos humanos.

Para isso, devem assegurar-se "de que todos os responsáveis pelos horrendos crimes de direito internacional cometidos contra milhões de pessoas ao longo de mais de meio século são levados à justiça".

"Os crimes dos que levaram a cabo estes abusos, dos que os ordenaram ou deles beneficiaram, mesmo quando se tratam de pessoas dedicadas ao mundo dos negócios ou da política, não podem nem devem ser descartados", advertiu Guevara-Rosas, citada num relatório da sede regional da Amnistia Internacional (AI) na Cidade do México.

O comunicado afirma que o modelo de justiça de transição que o Governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) acordaram no ano passado vai ajudar a garantir a verdade, justiça e compensação de algumas das vítimas do conflito.

"No entanto, muitas das suas disposições parecem não cumprir o direito e as normas internacionais em relação aos direitos das vítimas. Por exemplo, as penas previstas para quem admita responsabilidade em crimes de guerra contra a humanidade não refletem a gravidade de tais crimes", indicou.

A organização reconheceu que a Colômbia avançou muito desde os seus anos mais violentos, mas alertou que continuam a cometer-se violações dos direitos humanos contra comunidades marginalizadas.

Lusa

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Mariana Mortágua acusa Governo anterior de deixar escapar milhões para offshores
    1:39

    Opinião

    Mariana Mortágua e Adolfo Mesquita estiveram na Edição da Noite da SIC Notícias para mais um Esquerda Direita. Mariana Mortágua acusou o Governo anterior de, por opção ou negligência, ter deixado escapar 10 mil milhões de euros para offshores. Já Adolfo Mesquita Nunes, do CDS-PP, desvalorizou o assunto afirmando que serve apenas para desviar as atenções da questão da Caixa Geral de Depósitos

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.