sicnot

Perfil

Mundo

Acordo na Colômbia deve garantir justiça para milhões de vítimas, diz Amnistia

O êxito do histórico acordo de paz entre o Governo da Colômbia e a guerrilha das FARC, assinado na segunda-feira, depende da capacidade das autoridades de garantirem compensação para milhões de vítimas do conflito, alertou a Amnistia Internacional.


"Hoje será, com bons motivos, um dia de celebração na Colômbia. As autoridades devem agora garantir que este feito histórico não sofre nenhum descrédito", afirmou Erika Guevara-Rosas, diretora para as Américas da organização não governamental de defesa dos direitos humanos.

Para isso, devem assegurar-se "de que todos os responsáveis pelos horrendos crimes de direito internacional cometidos contra milhões de pessoas ao longo de mais de meio século são levados à justiça".

"Os crimes dos que levaram a cabo estes abusos, dos que os ordenaram ou deles beneficiaram, mesmo quando se tratam de pessoas dedicadas ao mundo dos negócios ou da política, não podem nem devem ser descartados", advertiu Guevara-Rosas, citada num relatório da sede regional da Amnistia Internacional (AI) na Cidade do México.

O comunicado afirma que o modelo de justiça de transição que o Governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) acordaram no ano passado vai ajudar a garantir a verdade, justiça e compensação de algumas das vítimas do conflito.

"No entanto, muitas das suas disposições parecem não cumprir o direito e as normas internacionais em relação aos direitos das vítimas. Por exemplo, as penas previstas para quem admita responsabilidade em crimes de guerra contra a humanidade não refletem a gravidade de tais crimes", indicou.

A organização reconheceu que a Colômbia avançou muito desde os seus anos mais violentos, mas alertou que continuam a cometer-se violações dos direitos humanos contra comunidades marginalizadas.

Lusa

  • Funcionários públicos hoje em greve
    1:37

    Economia

    Os funcionários públicos estão hoje em greve. A paralisação pode fechar algumas escolas, centros de saúde e outros serviços públicos. O fim da precariedade e o reforço de pessoal são duas das reivindicações do protesto.

  • Oliveira Costa "era incompetente para todos os lugares em que eu o vi"
    3:12

    Quadratura do Círculo

    O caso BPN esteve em destaque no programa Quadratura do Circulo desta quinta-feira. Pacheco Pereira relembrou que os maiores prejuízos são posteriores à nacionalização e responsabiliza José Sócrates. O Jorge Coelho disse que se fez justiça e que é uma prova que o Estado de direito português está a funcionar. Lobo Xavier garantiu também que Oliveira Costa era incompetente por natureza.

  • Nove distritos sob aviso amarelo devido à chuva

    País

    Nove distritos de Portugal continental estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes e de granizo, acompanhados de trovoada e rajadas fortes, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Bragança, Viseu, Porto, Vila Real, Guarda, Viana do Castelo, Castelo Branco, Coimbra e Braga são os distritos sob aviso o amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.