sicnot

Perfil

Mundo

Hungria nega acusações sobre tratamento degradante a refugiados

O Governo da Hungria negou esta terça-feira as acusações de abusos e tratamento degradante infligidos a refugiados e migrantes, formuladas num relatório da Amnistia Internacional (AI).

"Essas afirmações são falsas e absolutamente sem fundamento", afirmou o secretário de Estado do Interior húngaro, Karoly Kontrat, citado pela agência MTI.

Segundo o governante, a polícia destacada para a defesa das fronteiras cumpre a sua função de maneira "legal e decidida".

Kontrat assegurou que, antes do relatório da organização internacional de defesa dos direitos humanos, a Procuradoria húngara investigou críticas semelhantes feitas pela Human Rights Watch, concluindo que as acusações eram falsas.

A AI publicou hoje um relatório em que denuncia abusos e tratamento degradante infligidos aos refugiados por parte das autoridades húngaras.

"Milhares de candidatos a asilo sofrem abusos violentos, são repelidos ilicitamente e detidos ilegalmente pelas autoridades da Hungria e por um sistema flagrantemente delineado para os travar", afirma a organização internacional de defesa dos direitos humanos.

Centenas de candidatos a asilo esperam meses por uma resposta em "condições degradantes", afirma a organização, citando testemunhos de refugiados que dizem ter sido fisicamente agredidos e até perseguidos por cães.

O relatório da AI, divulgado a propósito do referendo de domingo na Hungria sobre o sistema europeu de quotas para o acolhimento de migrantes, qualifica a campanha para a consulta de "tóxica", com a colocação de centenas de cartazes por todo o país com mensagens que relacionam refugiados e migrantes com terrorismo e outros crimes violentos.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.