sicnot

Perfil

Mundo

Milhares nas ruas do México no 2.º aniversário do desaparecimento de 43 estudantes

Milhares nas ruas do México no segundo aniversário do desaparecimento de 43 estudantes

© Henry Romero / Reuters

Milhares de pessoas marcharam na Cidade do México ao lado dos pais de 43 estudantes desaparecidos há dois anos, exigindo que sejam encontrados vivos.

Os manifestantes gritaram "Queremo-los vivos!" no segundo aniversário do desaparecimento dos estudantes enquanto atravessavam a principal avenida da capital mexicana, com os pais a liderarem a marcha, segurando fotografias dos seus filhos.

"Foram dois anos de dor e sofrimento", disse Felipe de la Cruz, porta-voz das famílias.

"Vamos derrubar este Governo podre com o vosso apoio", disse à multidão.

Os estudantes desapareceram na cidade de Iguala, a 26 de setembro de 2014, depois de o autocarro onde viajavam ter sido sequestrado e os jovens atacados por polícias locais.

O Ministério Público afirma que os agentes entregaram os 43 estudantes ao cartel de droga Guerreros Unidos, que os matou e incinerou os corpos numa lixeira, depositando os restos mortais num rio.

As autoridades identificaram apenas os restos mortais de um estudante, depois de um fragmento de osso ter sido encontrado no rio.

No entanto, especialistas independentes da Comissão Interamericana dos Direitos Humanos rejeitam a conclusão do Governo, argumentando que uma pira funerária de tal dimensão numa lixeira é cientificamente impossível.

Desde então o gabinete do procurador-geral concordou em conduzir novas buscas pelos estudantes noutros locais.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.