sicnot

Perfil

Mundo

Milhares nas ruas do México no 2.º aniversário do desaparecimento de 43 estudantes

Milhares nas ruas do México no segundo aniversário do desaparecimento de 43 estudantes

© Henry Romero / Reuters

Milhares de pessoas marcharam na Cidade do México ao lado dos pais de 43 estudantes desaparecidos há dois anos, exigindo que sejam encontrados vivos.

Os manifestantes gritaram "Queremo-los vivos!" no segundo aniversário do desaparecimento dos estudantes enquanto atravessavam a principal avenida da capital mexicana, com os pais a liderarem a marcha, segurando fotografias dos seus filhos.

"Foram dois anos de dor e sofrimento", disse Felipe de la Cruz, porta-voz das famílias.

"Vamos derrubar este Governo podre com o vosso apoio", disse à multidão.

Os estudantes desapareceram na cidade de Iguala, a 26 de setembro de 2014, depois de o autocarro onde viajavam ter sido sequestrado e os jovens atacados por polícias locais.

O Ministério Público afirma que os agentes entregaram os 43 estudantes ao cartel de droga Guerreros Unidos, que os matou e incinerou os corpos numa lixeira, depositando os restos mortais num rio.

As autoridades identificaram apenas os restos mortais de um estudante, depois de um fragmento de osso ter sido encontrado no rio.

No entanto, especialistas independentes da Comissão Interamericana dos Direitos Humanos rejeitam a conclusão do Governo, argumentando que uma pira funerária de tal dimensão numa lixeira é cientificamente impossível.

Desde então o gabinete do procurador-geral concordou em conduzir novas buscas pelos estudantes noutros locais.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11