sicnot

Perfil

Mundo

Oposição teme que guerrilheiros das FARC imigrem para a Venezuela

A oposição venezuelana alertou esta terça-feira para a possibilidade de a guerrilha colombiana imigrar para território venezuelano, após a assinatura do acordo entre as subversivas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o Governo do Presidente Juan Manuel Santos.

"Desde a Mesa de Unidade Democrática (MUD - aliança opositora) fazemos um apelo para refletirem sobre as consequências que trará a assinatura do acordo. Celebramos o desmantelamento de mais um conflito, mas esperamos que não seja transladado para a Venezuela", disse o secretário -geral da MUD.

Jesus Chuo Torrealba vincou que as FARC são compostas por quase 15 mil pessoas, que durante toda a sua vida mataram, roubaram, sequestraram e traficaram drogas e que, "desse número, apenas poucas conseguirão incluir-se na sociedade (colombiana), após este acordo" de paz.

"Se essas pessoas não poderem continuar a cometer delitos na Colômbia, para onde vão? O mais seguro é que venham para cá, onde têm tido um Governo 'alcahueta' (encobridor), que lhes tem permitido entrar e sair quando querem e, além disso, ser os donos de várias zonas", disse aos jornalistas.

Segundo a MUD, o Governo do Presidente Nicolás Maduro deveria estar a ativar todos os mecanismos de segurança para proteger a Venezuela, mas, "em vez disso, o que existe é a segurança do Estado a perseguir os dirigentes políticos (da oposição)".

É frequente, na Venezuela, atribuírem a autoria de alguns sequestros de pessoas a militantes das FARC, do Exército de Libertação Nacional e outros grupos subversivos colombianos.

Alguns desses sequestros, segundo fontes não oficiais, ocorrem nas zonas e Estados próximos da fronteira colombo-venezuelana, como Táchira, Zúlia e Apure, mas também em Carabobo, Barquisimeto e em Cojedes (todos no centro do país) e em Caracas, a capital da Venezuela.

A Venezuela e a Colômbia partilham 2.219 quilómetros de fronteira bilateral.

A assinatura do acordo de paz, realizada na segunda-feira, põe fim a 52 anos de um conflito armado que provocou pelo menos 220.000 mortos e quase sete milhões de deslocados.

Lusa

  • Bruno de Carvalho manda SMS aos jogadores em nome dos jogadores. Confuso?

    Desporto

    De acordo com a imprensa desta manhã, o presidente do Sporting Clube de Portugal terá enviado mensagens escritas aos jogadores com o seguinte texto "Obrigado presidente pelas felicitações. Ainda temos muito para conquistar juntos" e assinou com o nome do jogador a quem enviou a mensagem. Uma aparente reação ao facto de nenhum dos jogadores ter respondido às mensagens escritas por Bruno de Carvalho, com incentivos e elogios antes e depois da vitória do Sporting frente ao Boavista.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Governo promete melhorar condições de 26 mil famílias
    1:23

    País

    O ministro do Ambiente explicou esta terça-feira, no Parlamento, as novas medidas para a habitação: reduzir os impostos para arrendamentos longos, melhorar as condições de 26 mil famílias e introduzir o arrendamento vitalício para maiores de 65 anos. Este é um investimento que vai chegar aos 1700 milhões de euros.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31
  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17