sicnot

Perfil

Mundo

Oposição teme que guerrilheiros das FARC imigrem para a Venezuela

A oposição venezuelana alertou esta terça-feira para a possibilidade de a guerrilha colombiana imigrar para território venezuelano, após a assinatura do acordo entre as subversivas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o Governo do Presidente Juan Manuel Santos.

"Desde a Mesa de Unidade Democrática (MUD - aliança opositora) fazemos um apelo para refletirem sobre as consequências que trará a assinatura do acordo. Celebramos o desmantelamento de mais um conflito, mas esperamos que não seja transladado para a Venezuela", disse o secretário -geral da MUD.

Jesus Chuo Torrealba vincou que as FARC são compostas por quase 15 mil pessoas, que durante toda a sua vida mataram, roubaram, sequestraram e traficaram drogas e que, "desse número, apenas poucas conseguirão incluir-se na sociedade (colombiana), após este acordo" de paz.

"Se essas pessoas não poderem continuar a cometer delitos na Colômbia, para onde vão? O mais seguro é que venham para cá, onde têm tido um Governo 'alcahueta' (encobridor), que lhes tem permitido entrar e sair quando querem e, além disso, ser os donos de várias zonas", disse aos jornalistas.

Segundo a MUD, o Governo do Presidente Nicolás Maduro deveria estar a ativar todos os mecanismos de segurança para proteger a Venezuela, mas, "em vez disso, o que existe é a segurança do Estado a perseguir os dirigentes políticos (da oposição)".

É frequente, na Venezuela, atribuírem a autoria de alguns sequestros de pessoas a militantes das FARC, do Exército de Libertação Nacional e outros grupos subversivos colombianos.

Alguns desses sequestros, segundo fontes não oficiais, ocorrem nas zonas e Estados próximos da fronteira colombo-venezuelana, como Táchira, Zúlia e Apure, mas também em Carabobo, Barquisimeto e em Cojedes (todos no centro do país) e em Caracas, a capital da Venezuela.

A Venezuela e a Colômbia partilham 2.219 quilómetros de fronteira bilateral.

A assinatura do acordo de paz, realizada na segunda-feira, põe fim a 52 anos de um conflito armado que provocou pelo menos 220.000 mortos e quase sete milhões de deslocados.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.